Contra a homofobia nas Copas do Mundo da Rússia e do Catar

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Grupo pede ações contra a homofobia na Copa
GLAAD pediu que a Fifa promova ações para erradicar a homofobia nos estádios de futebol

Los Angeles - O GLAAD, grupo que defende a comunidade lésbica, gay, bissexual e transexual (LGBT) nos meios de comunicação, enviou nesta sexta-feira uma carta, assinada por mais de 25 organizações, pedindo que a Fifa promova ações para erradicar a homofobia nos estádios de futebol.

"Em um momento no qual mais pessoas que nunca no mundo todo amam o esporte do futebol, seu maior torneio, a Copa do Mundo, está começando a ser conhecida como um evento anti-gay", disse em comunicado Sarah Kate Ellis, presidente do GLAAD.

"As redes, os torcedores e os patrocinadores não querem ser associados com estádios cantando insultos contra as pessoas gays", acrescentou Ellis, que espera profundas mudanças por parte da Fifa antes das Copas na Rússia, em 2018, e Catar, em 2022.

O grupo sustenta que, nos jogos do Mundial do Brasil, os torcedores nos estádios e em suas casas, através das transmissões televisivas, podiam ouvir grupos que entoavam insultos anti-gays aos membros da equipe rival.

Após investigar uma denúncia apresentada pelo grupo Futebol Contra o Racismo na Europa (FARE, na sigla em inglês), a Fifa disse que o uso do insulto "puto", usado pela torcida do México, não era ofensivo no contexto de um jogo de futebol.

A expressão "puto" faz alusão de forma pejorativa aos homossexuais no México.

A próxima Copa do Mundo será realizada na Rússia, país que aprovou no ano passado uma série de leis que penalizam quem propaga mensagens sobre relações sexuais não tradicionais e castigam os que expressem na internet ou nas notícias uma opinião favorável aos gays.

A entidade indica, além disso, que a Copa de 2022 terá como sede o Catar, onde a comunidade gay pode ser presa por sua orientação sexual.

"O esporte é uma forma de unir as pessoas de todo o mundo. Permitir que o ódio seja parte das partidas vai contra o espírito dos torneios como a Copa do Mundo", concluiu Ellis.

Fonte: Exame, 11/07/2014

Capitão da seleção brasileira. Thiago Silva, declarou, durante a Copa: "Declaro que rejeitamos qualquer tipo de discriminação seja racial, de gênero ou orientação sexual...."

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Um Outro Olhar © 2015 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum