Guru ultraconservador, Olavo de Carvalho afirma que "homossexualismo" não é doença nem antinatural

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Olavo de Carvalho: novo discurso para que
 tudo fique como antes no quartel de Abrantes
por Míriam Martinho

Ex-comunista, ex-astrólogo, jornalista, autointitulado filósofo e, para muitos, renomado embusteiro, Olavo de Carvalho, guru dos ultraconservadores, surpreendeu e decepcionou seus discípulos ao afirmar, em seu programa semanal True OutSpeak, de 27 de junho, que o "homossexualismo" não é doença nem antinatural nem prejudicial à ordem social. E que a Bíblia tampouco diz nada disso. Ela diz apenas que o "homossexualismo" é pecado porque arrisca a salvação da alma do praticante do "homossexualismo".

Por isso, segundo ele, quando religiosos  declaram, no contexto laico, moderno, ser o "homossexualismo" antinatural, estão rotulando os homossexuais de contrários à biologia, como uma monstruosidade, uma deformidade, cometendo assim uma ofensa brutal que não deve se fazer a ninguém.  Estariam tentando defender uma verdade bíblica por meios cientificamente mentirosos, o que, por sua vez, arruina a causa contra o gayzismo. 

Toda essa conversa, aparentemente uma virada humanista do guru dos medievais brasileiros, esconde porém uma grande falácia que, aliás, parece representar um novo discurso conservador  (vide também  a fala do psicólogo cristão Luciano Garrido) em busca do velho objetivo de sempre de rotular a homossexualidade como doença e liberar os ditos psicólogos cristãos em seu propósito de "curar" os que estão em conflito com sua sexualidade.

As críticas de Olavo aos religiosos que estariam confundindo pecado com doença surgiu, segundo ele, em função das críticas que estes teriam feito a um seu artigo sobre o causo do projeto de cura gay do deputado evangélico João Campos (PSDB-GO). Em trecho desse artigo, reproduzido abaixo, percebe-se, contudo, a tentativa sub-reptícia de respaldar a cura de homossexuais por outra via ao criar a figura do falso "homossexualismo" (fruto de neuroses que estariam se manifestando através da prática homossexual) em contraposição ao "homossexualismo" normal, distinção apenas passível de ser realizada no curso do processo psicoterapêutico. Ao tentar impedir, portanto, a cura do "homossexualismo" neurótico, o movimento LGBT estaria fazendo do Estado o guardião da doença em vez de guardião da saúde.

Considerando ser praticamente impossível para uma pessoa homossexual não ter conflitos com sua sexualidade, em algum momento da vida, por conta do forte preconceito e da discriminação que ainda se abatem sobre os LGBT, dos quais esses conservadores são os maiores signatários, resulta que seriam raros os que não correriam o risco de ir ao psicólogo sem sofrer o assédio de alguma terapia de conversão à heterossexualidade.  Atrás da fala agora pretensamente humanista, descartam-se, da mesma forma que no discurso mais agressivo, as causas sociais que contribuem de forma decisiva para que uma pessoa LGBT possa ter conflitos com sua orientação sexual. Equivale a buscar em um paciente alérgico, a alguma coisa, a causa da própria alergia sem levar em consideração o elemento externo que lhe causa a alergia. 

Vale a pena ler o trecho abaixo e ouvir a fala de seu Olavo de Carvalho na íntegra, pois não resta dúvida de que se trata de nova estratégia conservadora, no sentido de continuar tentando patologizar a homossexualidade, contra a qual urge produzir um contra-discurso. Saliento que esse novo discurso neocon é mais enganoso e fácil de colar em outras faixas da população geralmente infensas ao discurso  usual dessa turma onde se misturam pecado, doença, antinaturalidade, etc.

"O homossexualismo, em toda a diversidade de suas manifestações, nem sempre emana  de um desejo sexual genuíno. Pode ser, em muitos casos,  uma camuflagem, uma válvula de escape para conflitos emocionais de outra ordem e até mesmo alheios à vida sexual. Isso acontece com muitas condutas sexuais. Por exemplo, se o sujeito é um masturbador compulsivo, isso não quer dizer que seja um impulso sexual. Pode ser um conflito qualquer de ordem familiar, de ordem emocional, no qual ela está procurando alívio mediante aquela prática. Isso pode acontecer com qualquer conduta sexual, inclusive o homossexualismo. Nem todo o ato sexual tem a motivação puramente ou exclusivamente sexual. Tem outros componentes os quais podem ser mórbidos.  É possível e obrigatório nesse caso falar em falso homossexualismo, de homossexualismo neurótico ou mesmo psicótico  para distinguir do homossexualismo normal nascido de um autêntico e direto impulso erótico, sem outras implicações portanto. A proibição de dar tratamento a pacientes que sintam desconforto com sua vida homossexual, que o que agora estão estudando lá no Congresso, resulta num impedimento legal de distinguir entre esses dois tipos de conduta especificamente diferentes, entre o mero impulso sexual e a sintomatologia neurótica, equalizando, portanto, homossexualismo e doença. Por outro lado, essa diferença, em cada caso concreto, não pode ser estabelecida a priori, mas só se revela no curso da psicoterapia mesma.  É previsível que, ao remover o conflito profundo, o interesse pela prática homossexual diminuirá ou desaparecerá nos portadores do homossexualismo neurótico ao passo que os homossexuais normais continuarão a ser como antes. Só tem um jeito de saber: você vai lá, alivia ou cura o conflito profundo, se o cara continua homossexual, ele é homossexual mesmo, e, se ele para, quer dizer que ele é um falso homossexual, era um sintoma neurótico e não uma homossexualidade efetiva. A proibição de distingui-los resulta, portanto, em encobrir a neurose sob a carapaça da proteção legal fazendo do Estado o guardião da doença em vez de guardião da saúde."

9 comentários:

  1. questão problemática, que merece ainda muita discuassão, pois concordo com Kinsey e sua escala de Zero exclusivamente hetero e Seis exclusivamente homo, tres seria o bissexual. Quem vai de 1 a 2 predominantemente heterossexual, o terapeuta deve sim reforçar sua heterossexualidade como deve reforçar a homossexualidade dos classificados entre 4 a 5. Mas que Olavo é um homofóbico disfarçado e perigoso, todos estamos de acordo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não estamos de acordo, não senhor

      Excluir
  2. Todos esses enrustidos/homofóbicos pretensamente humanizados não passam de uns vigaristas tentando dissimular sua realincopreensão sobre a natureza humana. Eles, sim, são doentes e precisam urgentemente se curar, antes que contaminem mais mentes desavisadas e suscetíveis a tais imbecilidades.

    ResponderExcluir
  3. Ao contrário do que o articulista afirma, a opinião de Olavo de Carvalho sobre o totalitarismo gazysta não causará escândalo algum entre seus admiradores. Pode-se ver aqui aquela velha tática de projetar nos outros sentimentos que lhes são próprios; essa é prática recorrente entre pessoas desonestas, que frequentemente desprezam a verdade em nome de ideologias juvenis delirantes. É fato que o último recurso daqueles que estão desesperados é se servir daquela metralhadora de rótulos (nazista, fascista, racista, assassino...blábláblá), da empulhação e da ofensa pessoal - o articulista e os comentaristas deste site quem o digam. Também é bem provável que esse comentário seja censurado (a “democracia” imposta pela esquerda nunca aceitou o recurso do contraditório, portanto, vou guardar esse comentário nos meus arquivos...rsrs). Observe também o seguinte: o Sr. Olavo deixou bem claro que, no curso normal de um debate, é preciso se servir das premissas aceitas pelo seu interlocutor, que nesse caso são as premissas científico-biológicas, portanto, ele está autorizado a debater com qualquer gazysta, pois é um homem de ciência, jornalista, escritor, filósofo com mérito internacionalmente reconhecido; já no Brasil, personalidades como Jorge Amado, Arnaldo Jabor, Ciro Gomes, Roberto Campos, J. O. de Meira Penna, Bruno Tolentino, Herberto Sales, Josué Montello e até o ex-presidente da república José Sarney já expressaram sua admiração pela pessoa e pelo trabalho do Sr. Olavo. Agora, digam-me desde quando reconhecer que as premissas bíblicas servem somente como inspiração para os discursos e debates internos da cristandade, sendo inadequado confrontá-las com os credos das ideologias ditas modernas é um sinal de que o “guru os ultraconservadores” capitulou? O Sr Olavo nada mais fez do que reconher o óbvio de haver, nesse caso, dois pesos e duas medidas. Acontece que a imbecilização dos interlocutores de Olavo é tanta que, em um automatismo boboca, eles passam a comemorar e a cantar vitória, quando na verdade foram castrados desde o toco em suas fantasias. E ainda ficam disfarçando que venceram. Tenho vergonha, como bissexual, de ser representado (a força) por gente como vocês.

    ResponderExcluir
  4. Primeiro, kammalakbar, esse papo de gayzista é coisa de vigarista moral e intelectual. Críticas ao movimento LGBT devem ser feitas com argumentos não com demonizações.

    Entretanto, para descer no seu nível, vou chamá-lo de conzista. Então, conzista, primeiro, quem disse que seus discípulos se desapontaram com ele e o criticaram pela fala acima foi o próprio Olavo não a articulista. Por isso, suas primeiras 11 linhas não procedem.

    As 9 seguintes não têm referência com o texto. Servem apenas para tentar incensar o conzista-mór, embora dizer que o Sarney o admira não seja exatamente uma forma adequada para isso...rsss

    E as últimas linhas de seu comentário demonstram que você decididamente não leu o texto, já que não há nenhuma referência ao guru dos ultraconservadores ter capitulado. Pelo contrário, afirma-se que ele mudou de tática para atingir os mesmos objetivos que antes. Então, o único imbecil nessa história é você que não sabe ler..kkkk

    Por último, este site não é de esquerda nem de direita (eita papinho guerra fria esse!)e não representa você. Seria vergonhoso para o site ter um representado de sua estreiteza mental que se limita a vomitar o discurso de um paranóico mistificador que inclusive luta contra seus direitos, já que se diz bissexual.

    Vou deixar esse seu textinho no site como uma prova de que os seguidores do conzista-mór sequer sabem pensar. Agora, se quiser que outros comentários seus sejam publicados, leia realmente o texto e atenha-se a ele em vez de ficar disparando impropérios a esmo. Caso contrário, nem pensar.

    Míriam

    ResponderExcluir
  5. Teacher and Guru Olasninho

    Em primeiro lugar quero pedir desculpas pelas palavras sem acentuacao pois meu teclado esta com defeito em alguma teclas. Em varios artigos e videos publicados na internet, o pseudo duble de filosofo e vigarista Olasno de Carvalho(Olasno=Olavo+Asno) defeca pela boca teorias sobre as mais diversas areas do conhecimento humano bem como as regras que regem as relacoes humanas no mundo atual. A Historia ja presenciou o surgimento de inumeros charlatoes e vigaristas ao longo de seu curso, mas nunca houve alguem que pudesse chegar perto do autointitulado “filosofo” Olasno. Em materia de mentira, vigarice e charlatanismo, Olasno é imbativel e esta num patamar superior e inalcansavel da burrice humana. Senao vejamos: Olasno proclama aos 4 ventos que ninguém pode acreditar na Teoria da Evolucao e que nao ha evidencias que possam comprova-la. Nao bastasse isso o vigarista contumaz afirma que a Teoria da Relatividade, as Leis de Sir Isaac Newton e outras ideias e trabalhos brilhantes de espetaculares mentes humanas nao sao validas. Vigarista mentiroso. A humanidade so alcancou o atual estagio devido ao esforco de cientistas inteligentissimos que precisaram conviver e vencer ideias retrogadas e falsas, a maioria delas embasadas em puro fanatismo religioso. Olasno afirma tb ser capaz de provar que certas teorias nao existem, como a Primeira Lei de Newton, a Lei da Inercia. Burro imbecil. Se nao ha inercia como ele explica que um corpo nao esteja em movimento? Ha! Ja sei! Olasno explica tudo atraves da sua “fantastica” e “revolucionaria” teoria da “Paralaxe Cognitiva”. Se a ciencia e os cientistas que proporcionaram o desenvolvimento humano sao falsas, por que o “filosofo” picareta nao apresenta evidencias contrarias e provas cabais sobre suas teses idiotas e sem nenhum ebasamento cientifico?
    Mas a picaretagem e a vigarice nao param por ai. Na sua ansia de explicar os problemas e questoes envolvendo a mente humana, o pequeno Olasninho(perdao pela redundancia) profere diversos cursos sobre estudos das mais diversas areas do conhecimento humano. Engracado. Nunca tinha visto um vigarista exercer tantas “profissoes” como Olasninho o faz: Medico, Engenheiro, Fisico, Psicologo, Historiador, Filosofo, Advogado, Administrador, Economista, o sujeito se arroga sabedor de tudo, absolutamente tudo em todas as areas do conhecimento humano. Entretanto, a mais “impressionante” “habilidade” do burro Olasno é aquela na qual ele afirma ser capaz de fazer previsoes sobre o futuro, tudo gracas ao seu “poder” de “astrologo”! Sim, o sujeito é “astrologo”, inclusive disse que pode fazer “previsoes” sobre qualquer coisa, tais como desastres naturais que possam acontecer no planeta. Incrivel nao? So nao entendi como é que ele ainda nao ficou rico, pois ja que pode prever o futuro por que nao joga na Mega-Sena? Parece que o pequeno Olasninho aprendeu tudo com o seu grande mestre Walter Mercado. Ligue dja!!! As “Olasnetes” podem ficar tranquilas pois o Guru e chefe da Seita Olasniana ja deixou ate um trabalho postumo feito em vida. Quem quiser conhecer Os “Postulados" do Teacher e Guru Olasninho basta ir no link a seguir e conferir alguns pensamentos do Asno Mor: http://medicoanimosico.blogspot.com.br/2012/03/olavo-de-carvalho-o-palhaco-mor-da.html
    O que Olasninho escreve e produz sobre o conhecimento humano e ciencia nao causa surpresa a mim e a ninguem. Esta perfeitamente de acordo com as cretinices que o imbecil costuma zurrilhar enquanto esta pastando. Afinal de contas, faz juz ao seu proprio nome: Olasno de Carvalho.

    ResponderExcluir
  6. Nesse caso, se existe o homossexual neurôtico, então tmb existe o heterossexual neurôtico, alguém q vive a heterossexualidade em conflito e deveria ser tratada de seus traumas para poder viver sua sexualidade na íntegra. Seriam os falsos heterossexuais!

    ResponderExcluir
  7. Astrolavo de Caralho (conhecido no submundo como Olavo de Carvalho) não trata o homossexualismo como doença, mas apenas como um "gosto pessoal","uma escolha" ou "uma frescura". O imbecilóide deve achar que quando um heterossexual, como eu, fica de pau duro vendo uma mulher gostosa também se deve apenas a "uma escolha" minha e que, se eu quisesse, não ficaria excitado. Olavo, como filósofo, é uma bela merda de astrólogo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Um Outro Olhar © 2015 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum