Bíblia e Homossexualidade (texto e vídeo)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

O texto abaixo foi escrito para a Revista Um Outro Olhar, n. 38 (fev. 2003), porém permanece mais atual do que nunca, nesse momento em que os Malafaias da vida e seu séquito vivem pregando contra os direitos homossexuais em nome de Deus (um deus chifrudo e de rabo, pelo visto).

Acompanha o documentário Por que assim me diz a Bíblia (For the Bible Tells Me So, 2007), do diretor Daniel Karslake, que mostra histórias de cinco famílias cristãs em conflito com filhas e filhos homossexuais em função de uma formação religiosa baseada na interpretação literal de textos bíblicos. O filme disseca essa interpretação, com o qual os religiosos conservadores tentam convencer os fiéis a acreditarem que a bíblia condena a homossexualidade, e a compara com o que a bíblia de fato diz, considerando o contexto do mundo atual.

Ambos, texto e vídeo, são fundamentais, para todas as pessoas que buscam criar um mundo mais democrático e inclusivo, a fim de fazer frente ao discurso fundamentalista em plena ascensão em nosso país.
Míriam Martinho

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Bíblia e Homossexualidade - Stella Ferraz

Poucos livros há que tenham sido usados para defender tantas idéias diametralmente opostas e conflitantes entre si como a Bíblia, a campeã do uso indevido de texto. Observe-se que cada igreja tem sua própria versão deste livro, desautorizando com um fulminante anathema sit, a excomunhão, as versões propostas por outras igrejas.

Assim, para aquelas que acreditamos em Deus e para quem a Bíblia tem um peso de revelação do divino, a manipulação do Livro Sagrado para combater a homossexualidade pode ser algo que nos enche de aflição e angústia. 

Por isso, não hesitei em participar do curso sobre a Bíblia e a homossexualidade, organizado pela igreja de Saint Bartholomeu, de orientação anglicana, quando estive em maio deste ano em Nova York. Aproveito, pois para apresentar aqui um outro enfoque sobre a Bíblia, aquele que ministros e ministras anglicanos discutiram conosco nos idos da primavera nova-iorquina. 

A primeira coisa que os tradicionalistas dizem para condenar a homossexualidade é que Deus nos criou homem e mulher para que, pelo sacramento do matrimônio, tivéssemos filhos. Há entre estes tradicionalistas quem diga que as Escrituras, clara e inequivocamente, declaram que a homossexualidade é um pecado contra Deus. Na verdade, a Bíblia não é tão clara nem tão inequívoca a este respeito. 

Veja-se Gênesis 1:27: “e Deus os criou homem e mulher”, que tem sido usado para afirmar o princípio da heterossexualidade. Deus nos fez homem e mulher, mas a Bíblia em momento algum diz qual é a norma que deve pautar o relacionamento afetivo/sexual entre estas criaturas: se deve ser entre homem e mulher ou entre dois homens ou duas mulheres. Nada há ali prescrito, tão somente uma afirmação de que Deus nos fez homem e mulher. Há que se levar em conta também que as idéias e entendimentos sobre a sexualidade têm se alterado ao longo dos séculos. Nos tempos bíblicos, as pessoas não compartilhavam de nosso conhecimento e costumes sexuais, assim como nós não temos como conhecer a experiência sexual dessas pessoas que viveram em tempos ancestrais. Não há, pois, como comparar vivências e costumes tão diversos. Basta citar, como exemplo, o amor romântico. Este amor não aparece na Bíblia, que nem sequer suspeita de sua existência. O amor romântico é invenção recente: originou-se na Provence (França), no século 10, tendo sido divulgado inicialmente pelos trovadores, de feudo em feudo, depois pelos românticos no século 19 e por Hollywood no século 20. Esta concepção de amor não existe na Bíblia, assim como não existe nela a atual concepção de relacionamento gay ou lésbico. 

Outra passagem usada pelos tradicionalistas para combater a homossexualidade é a de Sodoma. Esta passagem lança uma condenação, não à homossexualidade, mas à falta de hospitalidade (vide Gênesis, 19:1-9) e à opressão sobre os fracos e desamparados (vide Ezequiel, 16:48-49). Sodoma é um termo usado em uma dúzia de passagens bíblicas como sinônimo do mal, mas em momento algum é utilizado como sinônimo de homossexualidade. Os homens de Sodoma tentaram dominar os estrangeiros hospedados na casa de Lot, subjugando-os pela agressão e abuso sexual. Tal atentado em grupo tem a ver com estupro coletivo, humilhação e violência e não com homossexualidade. Os tradicionalistas manipulam o texto, porque Lot oferece as filhas para o estupro coletivo, dizendo aos habitantes de Sodoma que podem fazer o que quiserem com elas, mas que poupem seus hóspedes, os dois estrangeiros. Os habitantes querem os estrangeiros, não por sensualidade, mas por xenofobia, para humilhá-los. 

Outra coisa a se considerar é que há passagens na Bíblia que defendem, expressamente, comportamentos e regimes que hoje em dia são inaceitáveis, tais como, a escravidão. Há mais de uma centena de anos que ninguém mais se atreve a lembrar essas passagens para defender a escravatura. Mas está lá em São Paulo, que manda aos escravos serem obedientes e servis aos seus senhores terrenos como o são a Cristo... Também o anti-semitismo está justificado em passagens de São Paulo (vide I Tessalonicenses 2:14-15): “pois também vós sofrestes dos vossos compatriotas o que eles sofreram por parte dos judeus; eles que mataram o Senhor Jesus e os profetas, também nos perseguiram, não agradam a Deus e são inimigos de todos os homens”. A subjugação das mulheres é igualmente advogada por São Paulo (vide I Timóteo, 2:11-12): “a mulher deve guardar silêncio, com toda submissão. Não permito à mulher que ensine”.

Por outro lado, quando a Bíblia afirma em Levíticos 18:22 que a homossexualidade é uma abominação, ela a julga tão abominável como o o comer moluscos, Levíticos 11:10. Assim, são hoje inúmeros os teólogos que afirmam não haver na Bíblia texto expresso sobre a homossexualidade, tal como é entendida hoje. A Bíblia é, pois, um closet vazio, não há nada de específico sobre homossexualidade, nada nos diz sobre ela, tal como é entendida hoje. Mas tem muito a dizer sobre a graça de Deus, sua justiça e misericórdia. Jesus resumiu a lei de Deus mais importante contida na Bíblia: “Ame a Deus com todo seu coração, corpo e alma e ao seu próximo como a si mesmo”. Este é o melhor mandamento divino. E intolerância, com certeza, está fora disto.

Stella C. Ferraz é autora dos romances lésbicos Preciso te ver, A Vilas das Meninas e Pássaro Rebelde, publicados pela ed. Brasiliense. (Texto originalmente publicado em revista Um Outro Olhar, n. 38, ano 16, Fev.2003) 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Porque a Bíblia assim me diz (For the Bible Tells Me So, 2007)
• Direção e Roteiro: Daniel G. Karslake e Helen R. Mendoza
• Documentário,  95 minutos, EUA 

9 comentários:

  1. É COMPLICADO FAZERMOS ALGUM COMENTÁRIO SOBRE A BÍBLIA.SÓ SEI QUE TEM MUITA GENTE FAZENDO O MAL AO PRÓXIMO USANDO O NOME DE DEUS. LOGO DEUS QUE SEMPRE PREGOU O AMOR.E ONDE HÁ AMOR EXISTE RESPEITO A TODOS .AS PESSOAS FALAM EM RESPEITAR O QUE DEUS CRIOU,PORÉM AS PESSOAS MUDAM COR DE CABELO, ESTILO DE CABELO( DE CRESPO PARA LISO), PINTAM UNHAS, FAZEM PLÁSTICAS,E NEM POR ISSO ACHAM QUE É PECADO.CRISTO ANDAVA Á PÉ NO TEMPO QUE HAVIA CAVALO, PORÉM HOJE PADRES E PASTORES ANDAM DE CARROS NOVOS E NEM POR ISSO ACHAM QUE É PEDADO.POR ISSO É MUITO COMPLICADO CONDENAR AS PESSOAS. DEUS É AMOR, E ACIMA DE TUDO RESPEITO. ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
  2. Coloco aqui apenas meu pensamento sobre esse assunto "biblia x homossexualismo" . Achei interessante a parte do texto que se refere a São Paulo " que manda os escravos serem obedientes e servis aos seus senhores terrenos assim como são a cristo". Não digo que a bíblia não traduz a vontade de DEUS, mas penso que seus escritores a elaboraram de acordo com os costumes da época, hoje em nosso século a escravidão é inaceitável, mas na época em que a biblia foi escrita a escravidão era aceita. Hoje em nosso tempo se a biblia fosse ser escrita seria feita de forma a se enquadrar nas nossas leis e costumes, assim como foi enquadrada nos costumes e leis daquele século. PREFIRO VER UM CASAL DE LÉSBICAS MORANDO JUNTAS E SE RESPEITANDO, DO QUE VER UMA MULHER AO LADO DE UM HOMEM (QUE SE DIZ MACHO) SOFRENDO ABUSOS E AGRESSÕES COMO HOJE EM DIA SE VÊ MUITO POR AI. Não entendo por que os políticos não aceitam a união civil entre homossexuais, mas aceitam o voto deles, aceitam os impostos que eles pagam. Cada um deve se preocupar com sua vida e deixar os outros serem felizes como quiserem ser, não me interessa com quem meu vizinho (a) se deita, se ele é uma pessoa na qual posso contar se um dia precisar de sua ajuda.>> Na bíblia diz que não devemos julgar os outros para que não sejamos julgados<< BEIJOS A TODOS HOMOSSEXUAIS!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Cara Stella, realmente é incrível a sua leviandade ao deturpar a Bíblia de Tal forma. Um dia o Senhor mostrará a Sua face para você. Quem estiver lendo esta porcaria de reportagem, não se engane, Deus é Santo e exige santidade. Deus não muda. Vejam o que está, bem claro, na Bíblia. "Não erreis: nem impuros... nem adúlteros, nem EFEMINADOS, nem SODOMITAS herdarão o reino de Deus" (I Coríntios 6:9-10). A intimidade sexual é limitada ao matrimônio. Somente nesta condição ela é aceita e abençoada por Deus (ver Gn 2.24 nota; Ct 2.7 nota; 4.12 nota). Mediante o casamento, marido e mulher tornam-se uma só carne, segundo a vontade de Deus. Os prazeres físicos e emocionais normais, decorrentes do relacionamento conjugal fiel, são ordenados por Deus e por Ele honrados. Ora, a Bíblia deixa claro, Deus não muda. Veja: "Sl 33:11 O conselho do Senhor permanece para sempre, e os intentos do seu coração por todas as gerações." E mais, tenham Certeza plena, Deus não mente: "Hb 6.16-20 ... É impossível que Deus minta, tenhamos poderosa consolação, nós, os que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta; a qual temos como âncora da alma, segura e firme...". Portanto, não se enganem ""Não erreis: nem impuros... nem adúlteros, nem EFEMINADOS, nem SODOMITAS herdarão o reino de Deus" (I Coríntios 6:9-10).", pois "Com varão te não deitaras, como se fosse mulher: abominação é."Levítico 18 : 22. A Palavra de Levíticos permanece, Deus não muda.

    ResponderExcluir
  4. Bruno Barreira, já que a Bíblia deve ser seguida "ao pé da letra" também nos dias de hoje, então você deverá:
    apedrejar os adúlteros, escravizar suas filhas, matar quem trabalham de sábado e expulsar de suas igrejas os deficientes físicos.
    "Sim, tudo isso está escrito no livro sagrado!
    Já que estas Leis de Deus estão corretas e a homossexualidade é injustamente condenada, veja outras leis que existem na bíblia e, portanto, deveriam vigorar no dia-dia:
    em Êx. 21,7-8 são dadas orientações sobre a maneira de vender a própria filha como escravo. Em Lev. 25,44, explica-se que os escravos devem ser comprados nas nações vizinhas e em 15,19-24, diz-se que a menstruação feminina é imunda e tudo o que a mulher tocar nesta fase será imundo, até seu marido. Em Êx. 15,2, diz-se que quem trabalhar no sábado deve morrer.
    A lista de atrocidades é imensa"
    Nós existimos e pelo fato de sermos homossexuais não somos condenados por Deus.
    Muito importante é você rever seus conceitos, ainda há tempo, o Deus que há dentro de cada ser humano com certeza não aprova é a sua conduta!
    Quem tem orientação sexual diferente não escolheu, não optou, e dever ter seus direitos respeitados.
    Ah, só por curiosidade, você trabalha sábado?

    ResponderExcluir
  5. Oi Stella. Sou cristão católico e acho muito coerente o texto que publicaste. Basta nos aprofundarmos um pouco no estudo da teologia para notarmos que o muito que se usa da Bíblia para a condenação parte de interpretações ao pé da letra.
    Por várias razões, pode-se dizer que São Paulo moralizou demais o Cristianismo - e usa suas frases quem não tem nenhuma frase moralista de Jesus para usar. Lamento que aqui apareçam pessoas que criticam de maneira tão apegada a seus próprios conceitos, passando-se por conhecedoras da Bíblia.
    Deus criou animais também, e macho e fêmea eles os criou: a homossexualidade no mundo animal é natural e não há lei ou moral que a condene. Não digo isso para que seja um argumento forte em defesa ao homossexualismo, mas apenas para abrir uma janela a mais nessa reflexão. Como cristãos, há coisas mais importantes e urgentes que Jesus espera que façamos.
    Um beijo pra você.

    ResponderExcluir
  6. As regras rígidas encontradas no Velho Testamento foram dadas aos judeus numa época onde tudo era olho-por-olho e dente-por-dente. Israel é a raiz e o tronco por meio do qual viria o Messias, o ungido de Deus para salvar o mundo. Neste contexto, para se manter uma linha de moralidade segundo o padrão divino era necessário regras com punições duras. Se não fosse assim, jamais se chegaria ao padrão de respeito mútuo entre as pessoas, visto que a bestialidade humana se sobrepujaria à moral. Com a vinda do Messias, já no Novo Testamento, num momento mais propício e menos bestializado, Ele revelou claramente qual era a vontade do Pai: “amai-vos (amor ágape) uns aos outros”. Por isso, hoje, nós observamos o Novo Testamento, seguindo o evangelho de Cristo e a doutrina dos apóstolos. No entanto, o NT segue princípios do Velho Testamento, e tanto no NT como no VT a homossexualidade é condenada por Deus.
    Mas qual o tratamento que o cristão deve dar aos gays? De amar o pecador e abominar o pecado. Jesus andava pregando o evangelho para as pessoas que eram discriminadas na sua época (prostitutas, ladrões etc.). Jesus é nosso espelho e devemos assim fazer. Mas a mensagem era de ARREPENDIMENTO, ou seja, abandono das práticas pecaminosas (não uma aceitação passiva dos desejos impuros). Obviamente, muito dificilmente alguém consegue largar seus desejos. Por isso a fé tem um papel importante, é ela que nos dá a esperança concreta de algo muito melhor, é ela que diz que somos peregrinos nessa terra e que tudo que aqui há não pode ser comparado com o que Ele tem preparado para os que O amam.
    Não adianta procurar na Bíblia justificativa para se fazer aquilo que quer. A verdade não muda. Uma leitura sincera, com vontade de buscar a vontade Deus, será muito proveitosa, visto que é isso que distingue o homem bom do homem mal. Se consideramos os costumes da época dos escritores, veríamos claramente coisas inaplicáveis para os dias de hoje. No entanto, a Bíblia possui princípios explícitos que nos orientam a conhecer a vontade de Deus. Esta só é observável pelo homem que se entrega do coração à Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhor, guarde sua pregação fanática para os de sua laia. A sociedade civil não pode ser governada por seus princípios medievais. Deus não condena porra nenhuma. Isso é coisa de sua cabeça.

      E ninguém pode se privar de sexo e amor, como disse em outra de suas mensagens obscenas que foi deletada. Essa a que respondo vai ficar aqui como exemplo do medievalismo que todas as pessoas democráticas devem combater. E nem perca tempo em postar novamente porque suas besteiras serão todas apagadas.

      Excluir
  7. Não achei nem um pouco ofensiva, fanática ou minimamente medieval o que disse o Zé. Pelo contrário, está certíssimo, e falou com muita candura. Me abstenho de discutir a bíblia com quem obviamente não a conhece, como vocês aqui do site, apesar de afirmarem no texto que "a Bíblia tem um peso de revelação do divino" pra vocês, mas achei brutal sua resposta a um comentário tão simples. O fato de citarem passagens bíblicas esparsas, soltas, não demonstra conhecimento divino, espiritual, essencial pra se entender a palavra de Deus, já que a bíblia deve ser vista como um todo, ela sustenta cada afirmação ao longo de cada livro.

    Querem conhecer a Deus? Então busquem-no com coração aberto. Quem tem de convencê-los sobre certo e errado é Ele, não adianta ficarem discutindo e pregando um Deus que só existe na sua imaginação, porque o Deus vivo é bem claro, real, e condena SIM, muitas coisas, porque existe um inimigo, existe o que se chama de "mal"; Deus lhes criou, e não foi um acaso, Ele os criou com sonhos e propósitos, mas também com livre arbítrio.

    Vocês reclamam sobre intolerância, mas são extremamente intolerantes com os cristãos. Se alguém se dispõe a falar sobre qualquer assunto em um ambiente público como a internet, tem que respeitar os comentários contrários, especialmente se forem comentários educados. Ainda mais quando se fala do que não se conhece. Se vocês têm essa necessidade de aprovação de Deus, porque não buscam isso Nele, ao invés de reinventá-lo a seu gosto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está confundindo a autora do texto que é cristã com o site que não é. Aqui ninguém quer conhecer Deus, inclusive porque não há como conhecer algo que não existe. Deus é uma fantasia humana criada para minimizar nossa sensação de desamparo existencial diante das incertezas, do imponderável e sobretudo da morte. Do ponto de vista individual, tal crença não chega a fazer mal. Mas a editora do site prefere acreditar na Mulher Gato. Agora, quando em nome de entes mitológicos, querem legislar a vida dos outros é preciso cercear suas loucuras. Não existe candura alguma nesse seu discurso e desse outro Zé Mané aí. Existe é muita piração e hipocrisia. E não perca tempo tempo tentando publicar seus lixos aqui porque serão apagados.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Um Outro Olhar © 2015 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum