Fundador da torcida organizada gay do Corinthians diz que entidades esportivas não se pronunciam contra a homofobia e que a Parada de São Paulo é mal organizada

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014 0 comentários


Homofobia na Copa: "São Paulo não está pronta", afirma o presidente da Gaivotas

Quando o assunto é futebol, falar de homossexualidade ainda é tabu. Recentemente, um "selinho" do atacante corinthiano Emerson Sheik em um amigo gerou polêmica e reacendeu o debate. Lamentavelmente, São Paulo também registra casos frequentes de agressão física ou verbal a homossexuais. Com a proximidade da Copa do Mundo, estará a cidade preparada para receber um evento de tamanha importância e garantir os direitos e a segurança do público LGBT?

Segundo Felipeh Campos, jornalista e fundador da torcida organizada gay do Corinthians "Gaivotas Fiéis", a resposta é não. "São Paulo é uma cidade que não está preparada nem para receber chuva. Sou patriota, amo meu país, mas não acredito que nem o Brasil, nem São Paulo estão prontos para receber um evento desse porte", afirma.

Em entrevista para o Yahoo Esporte Interativo, ele revelou que muitos torcedores de outros clubes mostraram interesse em fazer parte da Gaivotas Fiéis. Portanto, pelo menos até a Copa, o nome será alterado para Gaivotas do Brasil, visando a torcida pela seleção brasileira. "Estou indo a Brasília entregar o kit de camiseta, bandeira, caneca e chaveiro para [a presidente] Dilma [Rousseff] e para [o ex-presidente] Lula. Vai ser o primeiro termômetro: se não me receberem ou, por qualquer motivo, começarem com 'coisa', saio de lá do Planalto, paro na primeira delegacia e abro um boletim de ocorrência".

Felipeh entende que não se trata apenas da homofobia, pois o problema da violência em São Paulo é generalizado. Mais do que uma ação específica voltada para o público LGBT, ele defende que os governos estejam atentos à proteção da população como um todo. "O que o gay busca é uma socialização com segurança, que a gente não tenha tantos problemas relacionados a crimes de homofobia. Se houvesse uma preocupação com a questão da segurança como um todo, já seria um grande passo", define.

O Silêncio dos Dirigentes 

Felipeh Campos também vê incoerência nas atitudes - ou na inoperância - de líderes de entidades esportivas, como a Fifa, o COI e a CBF: "eles defendem a união entre povos, afirmam que toda pessoa deve ser vista como cidadão comum, independentemente de ser homo, hetero ou bissexual, fazem tantas campanhas a favor deles mesmos mas não são capazes de se manifestar em relação ao público LGBT, que hoje representa uma parcela enorme da população brasileira". O corintiano parte pro ataque: "Esses dirigentes não conseguem nem falar sobre a sexualidade deles, como é que vão falar da sexualidade do outro?"

Argumentos para as palavras de Felipeh não faltam. Às vésperas da realização das Olimpíadas de Inverno de Sochi, na Rússia, nenhuma palavra foi publicada por parte do Comitê em relação à lei que proíbe manifestações pró-homossexuais no país; já a Fifa não se pronunciou sobre qualquer tipo de campanha anti-homofobia na Copa do Mundo, seja após receber um pedido oficial da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros, seja ignorando o fato de que, em 2022, o torneio será realizado no Qatar, país onde o homossexualismo é crime.

Politicamente Parada

O outro problema em relação à defesa dos direitos de LBGT na cidade está no direcionamento do trabalho das associações. O jornalista tece críticas à Associação LGBT de São Paulo: "eles estão mais em cima de uma ideologia e esquecem do fator político, que eu acho que é o mais importante", analisa Felipeh, que também se declara contrário à Parada Gay nos moldes atuais. "Eu acredito que a Parada Gay é muito mal organizada. Eu não participo, acho um ato bem preconceituoso; eu não estou lá pra ver 'fulano' se drogar, outros [dizendo] 'ai, vamos parar para ver os gays passarem'".

Além da torcida organizada, Felipeh também montou uma organização LGBT, que deve iniciar suas atividades ainda neste primeiro semestre. "A integração tem que acontecer todos os dias, tendo Parada uma vez por ano ou não. Nessa época, fica tudo muito em cima da questão da ideologia, o barulho é grande por causa disso, mas não se fala da política, que eu acredito que é o mais bacana", conclui.

Poder Público

Esta coluna procurou ouvir a Coordenação de Políticas para LGBT da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo, mas não houve resposta até o fechamento deste artigo. Além dessa coordenação, a Prefeitura também conta com o Comitê Integrado de Gestão Governamental Especial para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 - SPCopa, coordenado pela vice-prefeita Nádia Campeão.

A Prefeitura de São Paulo mantém o Centro de Combate à Homofobia (CCH) para prestar atendimento gratuito e especializado à população LGBT que sofre violência e/ou discriminação em decorrência da orientação sexual e/ou identidade de gênero. O CCH fica no Páteo do Colégio, 5 - Centro. O contato também pode ser feito por telefone, por meio do número (11) 3106-8780, ou pelo e-mail cch@prefeitura.sp.gov.br.

As vítimas de homofobia também podem procurar a 2ª Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Raciais e de Delitos de Intolerância - DECRADI, que fica na Rua Brigadeiro Tobias, 527 - 3o. andar, na Luz. O telefone é o (11) 3311-3555.

Fonte: 
Portal O Dia via Esporte Interativo, 28/01/2014

Casamento LGBT coletivo, ao som de Macklemore, Lambert e Madonna, no Grammy 2014

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 0 comentários

Casar ao som de Madonna é mesmo muito emocionante

Com casamento coletivo, Madonna e Macklemore cantam no Grammy
Apresentação de medley do hino gay 'Same Love' com 'Open Your Heart' ainda contou com participação de Queen Latifah e Mary Lambert

A emoção tomou conta do público, na madrugada de segunda-feira (27), quando o Macklemore subiu ao palco da 56ª edição do Grammy Awards, em Los Angeles. Madonna, que vinha dando pistas de que faria uma participação especial na premiação, honrou a palavra a surgiu junto do duo de rap.

Com o hino gay Same Love, Ben Haggerty, o Macklemore, recebeu no palco a cantora Mary Lambert e Ryan Lewis, seus parceiros na canção, para uma apresentação de apoio aos direitos da comunidade LGBT, que ainda contou com a rapper, atriz e apresentadora Queen Latifah. 

Com um look branco de inspiração country, Madonna entrou no palco surpreendendo ao fazer um medley da canção com seu hit Open Your Heart. E assim, com a mensagem de amor igualitário, o encontro do quarteto marcou o inesperado casamento coletivo de diversos casais homossexuais e heterossexuais.

Confira nos vídeos abaixo!

Fonte: Quem Acontece, 27/01/2014

Torcida por beijo gay em ‘Amor à vida’

terça-feira, 28 de janeiro de 2014 0 comentários

Novos Tempos: telespectadores torcem para casal gay

Namoradinhos do Brasil: Thiago Fragoso está na torcida por beijo entre Niko e Félix em ‘Amor à vida’

Já Mateus Solano não vê necessidade no carinho entre os personagens
Na reta final da trama de Walcyr Carrasco, os atores analisam a popularidade do casal Félix e Niko, o favorito dos espectadores da trama das 21h que termina na sexta

RIO - Quando “Amor à vida” estreou, em maio de 2013, um romance entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago. Fragoso) parecia inviável até mesmo na cabeça do telespectador mais imaginativo. Afinal, enquanto o primeiro foi apresentado como um gay enrustido, pérfido, dono de comentários ácidos, o segundo era a síntese da estabilidade: um rapaz casado, sensível e apaixonado pelo companheiro, o advogado Eron (Marcello Antony), com quem planejava ter um filho.

No meio do caminho, entre uma trama rocambolesca, cheia de encontros e desencontros, idas e vindas, quis o destino — ou melhor, o autor Walcyr Carrasco — que Félix se redimisse e Niko se separasse. E que os dois se gostassem e quisessem ficar juntos. E, talvez o mais improvável: que a dupla tivesse o aval do público e conquistasse o status de casal principal da trama, desbancando Paloma (Paolla Oliveira) e Bruno (Malvino Salvador).

— Niko e Félix são um casal legal, querido. A gente brinca muito com o humor, um fala em cima do outro o tempo todo. Há companheirismo, e os dois têm personalidade forte. O Niko é fofo e não gosta de alguns comentários do Félix, mas, ao mesmo tempo, o acha engraçadíssimo. Essa complexidade faz o casal ficar tão interessante, cheio de sutilezas. E o fato de eles serem gays contribuiu — avalia Thiago, contando que sua mulher (Mariana Vaz) sempre torceu para que os dois ficassem juntos: — Ela estudou com o Mateus no colégio e gosta muito dele. E Félix não tinha um par na história. Anjinho (Lucas Malvacini) era mais um caso. Comecei a achar que havia espaço para esse triângulo — entrega.

Walcyr crê que a aceitação dos personagens não aconteceu por acaso. Mas envolve um processo histórico que começou lá atrás, através de autores como Gilberto Braga, Silvio de Abreu, Gloria Perez e Manoel Carlos.

— Eu apenas dei continuidade a um processo iniciado por eles e espero, sim, dar um passo adiante — torce.

Mesmo garantindo não ter alterado a história por conta da popularidade do casal, ele confirma que o romance não estava previsto na sinopse. Mas, ao longo dos capítulos, ele diz, se manteve antenado para sentir “o que rola e o que não rola”, em um processo intuitivo.

— Veja bem, a pesquisa da novela é feita apenas no início, para uma análise das primeiras respostas. Depois, o autor fica ligado com sua antena e, a partir daí, cria seus caminhos, mas sem especificamente ouvir alguém ou mesmo haver alguma interferência da emissora. O meu segredo é assistir à novela todos os dias, junto com o público — revela o autor.

Para Mateus, Félix passou a novela sendo “deseducado”. Segundo o ator, o personagem “foi mimado pela mãe quando deveria ter sido reprimido, ganhava reprovação do pai quando precisava de incentivo”. Tal desequilíbrio só se transformou em algo positivo quando ele se viu obrigado a vender hot dog com Marcia (Elizabeth Savalla). Foi aí que, diz Mateus, Félix teve que reavaliar os conceitos de vida.

— Ele teve que aprender na marra a dar valor às coisas certas. O Niko é uma delas, mas não a única, e a relação deles mexe com uma outra coisa que é a incapacidade do Félix de amar. Primeiro de ele gostar de si próprio, e segundo de aceitar que alguém possa gostar dele. Como o filho, Jonathan (Thalles Cabral), e a Marcia, que foi fundamental — analisa Mateus, contando que não esperava nenhuma das mudanças. — O Félix passou por tudo e mais um pouco, desde a “revelação” da homossexualidade, passando pelo episódio que assume ter jogado Paulinha (Clara Kastanho) na caçamba, ganhar a presidência até perder tudo.

Ao mesmo tempo, Niko caiu nas graças do público pelo jeito sensível e cativante. Por gostar de Fabrício sem saber que era sequer seu filho biológico. E por adotar Jaime (Kaiky Gonzaga) e criá-lo praticamente sozinho. A loucura de Amarilys (Danielle Winits), por sua vez, funcionou como uma contraponto e aumentou ainda mais a compaixão pelo sushiman.

— O público brasileiro é conservador e, pela primeira vez, não ficou ao lado da mãe, mas, sim, ao lado do afeto mostrado por esse cara que nem sabia que era pai biológico da criança. E isso é muito revolucionário, porque dentro da humanidade de cada um, a opção sexual é o que menos importa — define Thiago.

E tanto ele quanto Mateus concordam ao definir a trajetória de Félix como um conto de fadas. Por que não?

— O Walcyr acredita nesse conto de fadas. Foi bonito o universo que criou, e as pessoas compraram a ideia de que o mal pode se redimir. Não é real. Vejo como uma grande metáfora: tinha o cara totalmente bom e o totalmente mau, e o mal foi contagiado pelo bem. E essa regeneração é a mensagem que a novela pode passar — acredita Thiago.

Mateus também acha que um dos méritos de Walcyr foi não se prender tanto à realidade. Ele crê, por exemplo, que aqueles que torcem para o Félix tiveram que aceitar suas inverossimilhanças ao longo dos capítulos: em alguns momentos, a caricatura; em outras, o drama em demasia:

— Ele faz graça nos piores momentos, chama a secretária de cadela e outras coisas que seriam inverossímeis, mas que a gente gosta de ver e compra.

E o jeito ácido e franco do vilão, sempre permeado pelo humor, foi exatamente o que fez as pessoas gostarem dele e ficarem na torcida para que encontrasse alguém, continua Mateus.

— Vivemos num mundo em que não podemos falar nada, nem ofender ninguém. Acho que ele se tornou uma válvula de escape, e isso foi perceptível quando comecei a ver várias montagens na internet com o rosto dele ao lado de frases preconceituosas ou malvistas. A verdade é que todo mundo tem um Félix dentro de si — desafia. — O público primeiro aceitou o Félix. E depois o fato de que ele precisa de um homem para ser feliz. Algumas pessoas então reviram seus conceitos e seus preconceitos.

E após conversas francas, sinceras e cheias de afeto nos últimos capítulos, Félix e Niko chegaram até a trocar carícias sutis. Nesta última semana, Walcyr sugere, em uma cena, que os dois vão passar a noite juntos. Mas conta que foi “extremamente discreto”. Embora o autor afirme ter o aval da emissora para escrever sobre o que quiser, Thiago acha que o beijo gay não vai acontecer. E nem um casamento, como é de praxe no último capítulo.

— Adoraria ver o casamento, ia ser ótimo gravar, mas acho que o Walcyr teve a preocupação de não ser panfletário. E se tiver o beijo gay, vou fazer feliz, acharia o máximo, mas na nossa sociedade com valores sociais deturpados, acho que seria considerado mais agressivo esse beijo entre homens, mais do que entre mulheres. Talvez por isso não tenha — avalia Thiago, afirmando que não gravou cena de beijo e isso não está no roteiro, por enquanto: — Se chegar um adendo secreto, vou ficar superfeliz.

Já Mateus não vê a necessidade real do afago, já que, para ele, Walcyr “ultrapassou a questão do beijo e tocou em questões até mais profundas”.

— Em cena, eles têm diversas demonstrações de carinho e o beijo não faz falta — assegura.

Crer que não há homofobia seria ingenuidade, conclui Thiago, que, todavia, defende o papel da arte como reflexão.

— A arte é a alma do mundo. Embora o comportamento geral não tenha mudado, me sinto satisfeito por ter tocado ao menos um coração com essa história.

Fonte: O Globo, Natália Castro, 26/01/14 

Programadora Box Brazil lança canal LGBT

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 1 comentários


Canal We aposta em conteúdo LGBT
Novo canal da programadora Box Brazil terá a diversidade como foco de sua programação

A Box Brazil está investindo na criação de um canal com conteúdo que valoriza a temática LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais).

Previsto para ser lançado ainda neste ano, We será o quinto canal da programadora e o primeiro a se dedicar exclusivamente à diversidade. Na programação haverá séries, filmes, programas de entrevistas e telejornais com informações relacionadas à diversidade e aos direitos humanos.

Segundo a Box Brazil, a intenção do canal é desmistificar e esclarecer aspectos relacionados à cultura e às individualidades e priorizar os assuntos estigmatizados pela sociedade em geral.

A programadora independente está no mercado de TV por assinatura desde 2011 e tem os canais Prime Box Brazil, Music Box Brazil, Travel Box Brazil e FashionTV Brasil. Segundo dados divulgados pela empresa, a base de assinantes é de 8 milhões.

O canal We está no Facebook e no Twitter para que as pessoas possam interagir e participar com sugestões que poderão ser incorporadas à programação. Além das redes sociais, o público poderá acessar o blog do We. O lançamento está previsto para os próximos meses.

Com informações do Coletiva.net e Meio e Mensagem, 22-24/01/2014

Neurologista afirma que homossexualidade estaria ligada à mudança na composição hormonal e na formação do cérebro

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 0 comentários



Estresse na gravidez eleva chance de filho ser gay, diz cientista


Um livro recém-lançado por um neurologista sugere que o estresse na gravidez elevaria as chances de uma criança nascer gay.

Segundo o holandês Dick Frans Swaab, autor de We are our Brains (Spiegel & Grau, 448 páginas) ("Nós somos os nossos cérebros", em tradução livre), a homossexualidade estaria ligada a uma mudança na composição hormonal e na formação do cérebro.

Nesse sentido, o neurologista acredita que fumar ou ingerir drogas na gravidez pode influenciar na formação da sexualidade do feto.
Mulheres grávidas que sofram de estresse tem maior chance de darem a luz a bebês homossexuais, porque os níveis elevados do hormônio de estresse cortisol afeta a produção de hormônios sexuais fetais", escreve Swaab.
A abordagem de Swaab, professor emérito de neurobiologia da Universidade de Amsterdã, parte do pressuposto de que a sexualidade é determinada no útero e não pode ser alterada, contrariando uma visão partilhada por muitos especialistas de que a orientação sexual é uma escolha individual.
Embora seja frequente ouvirmos que o desenvolvimento após o nascimento também afete a orientação sexual, não há absolutamente nenhuma prova científica disso", vaticina Swaab.
Para exemplificar sua tese, Swaab cita o caso de uma droga prescrita a 2 milhões de mulheres para evitar abortos nas décadas de 40 e 50 que, segundo ele, aumentou as chances de bissexualidade e homossexualidade nos recém-nascidos.
A exposição à nicotina e à anfetamina durante a gravidez eleva as chances de a mãe gerar uma filha lésbica", afirma o holandês.
O neurocientista também acredita que as chances de que um bebê se torne homossexual são maiores quando a mãe já gerou filhos homens antes.
Isso se deve à resposta imunológica da mãe às substâncias masculinas produzidas por bebês do sexo masculino no útero. Essa reação se torna cada vez mais forte durante cada gravidez", acrescenta Swaab.
Controvérsia

Há mais de cinco décadas pesquisando a anatomia e a fisiologia do cérebro, o holandês, que coleciona diversos prêmios em seu currículo, é um crítico voraz do chamado "livre-arbítrio" humano e muitas de suas tesas tem causado polêmica.

O neurologista acredita que o cérebro é pré-programado durante a gravidez, influenciando as decisões de um indivíduo durante toda a sua vida, desde suas experiências emocionais às suas preferências religiosas.

A sua primeira investida no campo da orientação sexual ocorreu na década de 80 e, desde então, Swaab vem provocando reações acaloradas de grupos de defesa dos direitos gays, que afirmam que suas descobertas enquadram a homossexualidade como um "problema médico".

O neurologista holandês, entretanto, discorda das críticas e afirma que sua tese descontrói o argumento de entidades ultra-conservadoras que acreditam na chamada "cura gay".

Além disso, como afirma que a homossexualidade é definida durante a gravidez, Swaab descarta a hipótese de que filhos de pais homossexuais tenham maior chance de se tornarem gays.
Crianças que cresçam em famílias de pais gays ou lésbicas não têm mais chances de ser homossexuais. Não há qualquer evidência de que a homossexualidade seja um escolha de vida", afirma.
A tese de Swaab, entretanto, não é inédita. No 21º Encontro da Sociedade Europeia de Neurologia, realizado em 2011, o professor Jerome Goldstein, do Centro de Investigação Clínica de São Francisco, nos Estados Unidos, apresentou dados baseados em tomografias computadorizadas que mostraram a diferença dos cérebros entre homossexuais e heterossexuais.
Segundo Goldstein, a orientação sexual não é uma opção, ela é essencialmente neurobiológica ao nascimento".
Cérebro

Mas essa não é a única polêmica do livro de Swaab. Na obra, o neurologista também afirma que o comportamento "irritante" dos adolescentes seria uma evolução natural para evitar o incesto e que partos difíceis seriam, na prática, resultantes da predisposição, nos recém-nascidos, a transtornos mentais como esquizofrenia, autismo ou anorexia.

Além disso, o holandês também defende outras teses, como a de que pessoas inteligentes costumam ser ateias, de que crianças bilíngues tem menos chance de desenvolver Alzheimer ou de que uma desilusão amorosa tem a mesma reação no cérebro do que a abstinência de um viciado.

Fonte: Terra, Saúde, via BBC, 22/01/2014

Padre Fábio de Melo declara apoio ao casamento civil LGBT em programa Altas Horas

2 comentários

Padre Fábio de Melo diz o óbvio: casamento civil e religioso são coisas distintas

Internautas de todo o País estão repercutindo nas redes sociais a declaração do padre Fábio de Melo em apoio ao casamento civil gay. O religioso tratou sobre o tema durante o programa Altas Horas, que foi ao ar pela Rede Globo na madrugada do último domingo (19). 

O padre surpreendeu os telespectadores ao apoiar a união civil de casais homossexuais e a separação entre a religião e os direitos civis 

O padre surpreendeu os telespectadores ao apoiar a união civil de casais homossexuais e a separação entre a religião e os direitos civis.
A gente precisa dividir bem a questão. Uma é a questão religiosa, o posicionamento das religiões, que têm todo o direito de não aceitar, de não ser a favor. É um direito de cada religião. Se você faz parte daquela religião, daquela instituição, você vai submeter-se à regra. Só que há também a questão cível, que não podemos interferir, que não é religiosa, que é o direito de duas pessoas reconhecerem uma sociedade que existe entre elas", respondeu.
Padre Fábio de Melo, que também é artista, escritor e professor universitário, com pós-graduação em educação, defendeu indiretamente o estado laico e explicou que a união civil entre pessoas do mesmo sexo é diferente do casamento religioso. Ele ainda disse que outros religiosos deveriam fazer esta distinção.
Acredito que o esclarecimento que precisamos ter, como líderes religiosos, é justamente a distinção. Se você quiser, pode chamar isso de casamento ou não, mas (se trata) de uma união que esteja civilmente amparada, para que as pessoas possam garantir direitos que não são religiosos. São duas coisas diferentes", defendeu.
Polêmica

O tema deve voltar a ganhar destaque nos debates da campanha eleitoral deste ano. Nem sempre os candidatos são favoráveis à distinção feita pelo padre artista.

Foi o caso da a ex-senadora Marina Silva, na campanha presidencial de 2010, quando concorria pelo PV. Evangélica, a fundadora da Rede Sustentabilidade, hoje cotada para ser vice do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na chapa do PSB, fez declarações nas quais confundia a questão religiosa com a civil.

Fonte: Nacional, Diário do Nordeste, 22/01/2014


Casamento LGBT não aponta para fim da família, mas para uma mudança na forma de concebê-la

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 0 comentários


Por que o casamento gay é tido como inimigo da família?

A resolução do Conselho Nacional de Justiça determinando que todos os cartórios do país celebrem o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo ou convertam uniões estáveis homoafetivas em matrimônios foi, sem dúvida, uma das mais importantes mudanças de 2013 no Brasil.

Mas será que o chamado "casamento gay", agora oficialmente reconhecido, pode representar o fim da família? Ou trata-se de uma reinvenção dessa instituição?

"Certamente, o casamento gay coloca em xeque uma determinada forma de conceber a família, a que teria como base a união de um homem com uma mulher", diz Carolina de Campos Borges, doutora em psicologia pela PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e professora da UFGD (Universidade Federal de Grande Dourados, no Mato Grosso do Sul).

"A noção de família formada por pai, mãe e filhos remonta a mudanças socioculturais ocorridas na Europa por volta do século 17 que, conforme o historiador e medievalista francês Philippe Ariès, determinaram o surgimento do sentimento de infância e também de família", explica Borges. 

De acordo com a psicóloga, cuja pesquisa de doutorado analisou o lugar que a família vem ocupando no projeto de vida das pessoas nas últimas décadas, a exacerbação do individualismo na vida social contemporânea fez com que a afetividade se afirmasse como elemento essencial para a definição de laços familiares. E foi essa ênfase na realização sentimental que possibilitou novas configurações da instituição.

"É nesse contexto que se apresenta a demanda de legitimação social da união de duas pessoas do mesmo sexo", diz a especialista. Segundo Borges, o casamento gay é resultado de um processo de transformações que se iniciaram há algumas décadas, quando se reivindicou por liberdade individual, igualdade de direitos e rupturas de padrões tradicionais, como a atuação exclusiva dos homens no espaço público e a restrição das mulheres ao mundo doméstico.

"O casamento gay, a meu ver, não aponta para o fim da família, mas para uma mudança na forma de concebê-la, mudança intimamente marcada, entre outras coisas, pelo respeito à diversidade individual e social", diz a doutora em psicologia.

Dom João Carlos Petrini, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), vai na posição contrária. "Por que os ordenamentos jurídicos se preocupam em regulamentar o casamento? Certamente não é para validar a afeição de duas pessoas que se amam. Se assim fosse, regulamentariam as relações de amizade", diz o bispo.

"Reivindicar a equiparação jurídica das uniões de homossexuais com a família, quando elas não dispõem das características que vão além do afeto, tem como consequência a descaracterização dessa estrutura, ferindo seu direito de permanecer assim como se constituiu ao longo dos milênios", afirma.

Para o bispo, o que está sendo projetado é um processo de alteração do significado das palavras. "Matrimônio e casamento sempre indicaram um mesmo fato: a união exclusiva entre homem e mulher. Ao surgir na contemporaneidade a exigência de reconhecer novas formas de viver o afeto, é necessário encontrar novas palavras para tratar de forma adequada realidades diferentes".

De acordo com Marcos Horácio Gomes Dias, professor de sociologia na Universidade São Judas Tadeu, em São Paulo, essa posição quase defensiva já é algo esperado. O especialista afirma que instituições que se apoiam na tradição como forma de legitimidade, geralmente, não aceitam as mudanças que o tempo traz.

"As igrejas estão presas a valores seculares. Reconhecer que casais do mesmo sexo constituem uma família implicaria na revisão dos livros sagrados considerados imutáveis por representarem a própria palavra de Deus".

Além disso, o sociólogo defende que a estrutura familiar é determinada, sim, pelo carinho entre duas pessoas, apesar de não exclusivamente por ele. Também entram em jogo a afinidade, os objetivos em comum e a divisão de despesas entre outros fatores, o que daria a qualquer casal –hétero ou homossexual– o direito de se classificar como família.

Já o pastor da Igreja Batista de Água Branca, em São Paulo, Ed René Kivitz, afirma que a relação entre pessoas do mesmo sexo, apesar de não merecer o carimbo "família" de acordo com os termos religiosos cristãos, ainda deve ser vista como um arranjo familiar. "A convicção religiosa não pode deixar de reconhecer que os casais homossexuais devem receber do Estado todo o amparo para que possam se unir civilmente e tenham resguardados todos os direitos inerentes a essa união".

Fonte: Araruna Online, 21/01/2014

Sem casamento gay em Amor à Vida, diz Walcyr Carrasco

terça-feira, 21 de janeiro de 2014 0 comentários

Walcyr vendo Valdirene no BBB: “Tatá manteve o personagem dentro do BBB”

“Não vai ter casamento gay em Amor à Vida”, diz Walcyr Carrasco

Walcyr, autor de Amor à Vida: “Encerrei os trabalhos há uma semana”

Em entrevista ao blog Terraço Paulistano, da revista Veja, Walcyr Carrasco, autor de Amor à Vida, explica porquê não vai ter casamento de personagem gay em uma novela que trouxe à tona a homofobia e exibiu casais homossexuais como quaisquer outros casais.
'Não vai ter casamento. Essa semana teve um boato na internet que haveria o casamento de Félix e Niko numa igreja evangélica. Uma grande bobagem. Eu sinto que foi uma tentativa de grupos de desestabilizarem o respeito que tenho tratado os evangélicos na novela. Assim como peço respeito aos evangélicos, peço aos homossexuais e a toda diferença. Amor à Vida significa tolerância ao outro', disse. Carrasco revelou à Veja também que não era intenção discutir a homofobia. 
'A questão dos gays e da homofobia acabou tomando conta da novela, embora esse não fosse um tema forte no projeto inicial. Esse é um assunto que está sendo falado no mundo inteiro. Vários Estados americanos estão aprovando o casamento gay, outros lugares tomam medidas contra os gays… As pessoas aderiram a essa discussão. No Natal, por exemplo, a mulherada da minha família ficou especulando se o Félix se casaria com o Niko. Eu fazia cara de esfinge porque não comento nada da trama com ninguém. Até que uma sobrinha minha fez uma observação interessante: ‘Há cinco anos, jamais falaríamos com tanta naturalidade sobre um casal gay…‘', contou.
Segundo Walcyr, a redenção de Félix, por ser vítima da homofobia, também não foi planejada. “Não planejei a transformação do Félix de vilão em mocinho. Fui sentindo a história e criando. O Félix agradou o público e abriu a discussão sobre homofobia, que tomou conta da trama. Fiquei feliz com isso“, falou ao repórter Ricky Hiraoka.

Confira a entrevista completa de Walcyr Carrasco à revista Veja:

Valdirene e BBB
Ir para o BBB é o sonho de tanta gente que eu conheço. Elas acham que se entrarem no programa terão os problemas resolvidos. Decidi que seria uma boa a Valdirene ter esse sonho. Em setembro, tive uma reunião com Boninho e expliquei minha ideia. Disse, inclusive, que queria a participação dele. No início, ele hesitou dizendo que era muito canastrão. Argumentei que Tatá resolveria esse problema.

Valdirene no BBB
Ela é muito engraçada. Tatá manteve o personagem dentro do BBB. Dentre as orientações que lhe passei uma era de sensualizar com os participantes e levar um rapaz para debaixo do edredom. Ela leu o capítulo em que Valdirene aparece no BBB, então, ela sabia o material que deveria entregar para a direção. A gente conversou bastante. Ela estava muito disponível para esse desafio e queria muito fazer. Tatá é uma atriz muito corajosa e deu conta do recado.

Evangélicos
Uma das minhas ideias iniciais era transformar a Valdirene numa cantora gospel. Desisti porque Tatá explorou muito bem o lado de humor da personagem e caiu nas graças do público. Ela ficou muito marcada por ser engraçada. Não queria fazer humor com os evangélicos e soar como deboche. Se fosse minha nona novela com personagens dessa religião e eu tivesse uma relação construída com eles, aí tudo bem.

Niko
Desde o começo o Niko se colocou como um personagem que queria filhos. Alguém muito família. O Thiago Fragoso soube construir bem o personagem. E as pessoas odeiam a Amarilys porque ela fez o que nenhuma mulher perdoa: roubou o namorado da amiga, no caso, do amigo. Mas eu não esperava que fossem adotar o Niko como aconteceu. Foi uma grata surpresa.

Arrependimentos
Nunca respondo perguntas do tipo: “O que você teria feito de diferente?”. Isso é delicado porque envolve toda a equipe. Se houve caminhos que tomamos que não resultaram nos resultados esperados, isso guardarei para mim.

Liberdade de criação
Um coisa que me deixou muito feliz e tiro meu chapéu para a direção da Globo é que eles tiveram uma visão ampla que permitiu que eu tratasse de qualquer tema. Em nenhum momento, recebi uma ligação falando: “Pare de escrever tal coisa!”. Só me ligavam para me felicitar, para dizer que a novela era boa e estava dando audiência. Tudo que escrevi foi exibido. Essa liberdade me deixou muito feliz.

Influência das redes sociais
Assisto aos capítulos de olho no Twitter. Acompanho tudo que está na hashtag Amor à Vida. Sei que ali é uma parcela muito pequena dos telespectadores. Não analiso os comentários qualitativamente e sim quantitativamente. Observo que personagens são mais citados. Tem muita gente que vem me xingar no Twitter. Aí, eu bloqueio.

Perseguição
Me sinto perseguido por dois ex-colegas dos tempos que era jornalista. Eles usam os veículos em que escrevem para fazer críticas sem fundamentos. Falam qualquer coisa. Eu pesquisei muito para escrever a novela. A cegueira do Cesar, um dos alvos das críticas, por exemplo, foi baseada num estudo de um catedrático da Escola Paulista de Medicina. Por mais absurda que possa parecer, essa situação é a mais medicamente correta de Amor à Vida. Acho que esses dois jornalistas a quem me refiro se incomodaram com o fim de nossa amizade. Nem adianta que não vou citar o nome de nenhum deles.

Crítica de atores
Teve um site que publicou que atores estavam reclamando dos respectivos personagens. Não foi nada disso. Tiraram falas de contextos. Essas notícias não são ruins para mim. São ruins para os atores que ficam mal dentro da própria Globo, ganham fama de reclamões.

Cesar e Antonio Fagundes
O público feminino adora a trama do Cesar. Na sinopse, o personagem deveria morrer por volta do capítulo 80. Mas quando consegui a escalação de Antonio Fagundes, mudei de ideia. Lembro que por volta do capitulo 75, Fagundes me ligou e perguntou: “Eu não ia morrer?” (risos). Não dá para abrir mão de um ator como ele. Quando Fagundes está numa novela só pode sair no penúltimo capítulo.

Merchan literário
Indico livros na novela, pois sou escritor. Sei que muitos reclamam disso, mas tentei fazer um panorama da literatura atual. Falei de autores brasileiros que já são considerados clássicos, daqueles que estão começando a aparecer e ainda citei obras jornalísticas, livros infantis e autoajuda espírita.

Fonte: Boa Informação, 19/01/2014

Futuro cardeal espanhol diz que homossexualidade é "deficiência"

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014 0 comentários

Para o cardeal Fernando Sebastian,
a homossexualidade é "uma forma de deficiência sexual".

O futuro cardeal espanhol Fernando Sebastian, próximo do Papa, gerou duras críticas por parte das associações de defesa dos direitos dos homossexuais e da oposição socialista ao afirmar que a homossexualidade é "uma forma de deficiência sexual".

O arcebispo emérito de Pamplona, Fernando Sebastian Aguilar, de 84 anos, é um dos 19 novos cardeais cuja nomeação foi anunciada pelo Papa Francisco e que serão oficializados a 22 de fevereiro.
'Com todo o respeito, digo que a homossexualidade é uma forma deficiente de exprimir a sexualidade, porque esta última tem uma estrutura e um objetivo que é a procriação', afirmou o prelado numa entrevista publicada domingo no ornal Sur de Malaga, cidade onde reside. 
'No nosso corpo temos muitas deficiências. Eu tenho hipertensão. Vou ficar irritado quando me dizem que tenho? É uma deficiência que devo corrigir como posso. Mostrar a um homossexual uma deficiência não é uma ofensa, é uma ajuda porque muitos casos de homossexualidade são recuperáveis com o tratamento adequado', afirmou Fernando Sebastian.
Os socialistas do PSOE já criticaram estas declarações que, segundo a secretária da Igualdade, Purificación Causapié, "contribuem para perpetuar a discriminação e a violência que existem em vários países contra os homossexuais".

Já as associações de defesa dos direitos dos homossexuais, exigiram que Fernando Sebastian retire as suas palavras.

Fonte: DN Globo, 20/01/2014

Na Paraíba, casais hétero se recusam a casar junto com casais LGBT

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014 1 comentários


Os dois cartórios que realizam casamentos de homoafetivos em João Pessoa revelaram que sete meses após a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ainda existe uma homofobia por parte de alguns casais que se recusam a compartilhar a cerimônia com LGBTs e que a procura diminuiu após aprovação da lei.

Desde a resolução do CNJ em 16 de maio de 2013 foram realizados aproximadamente 40 casamentos em João Pessoa. Na Capital dois cartórios realizam as cerimônias, o de Registro Civil do Conjunto Ernesto Geisel na Zona Sul e o Cartório Azevêdo Bastos na Zona Norte.

Na Zona Sul foram realizados aproximadamente 15 cerimônias, a dificuldade de ter números precisos , de acordo com a Oficial Substituta, Mariane Gomes, é que independente do sexo, os casamentos são registrados como contratante 1 e 2.
“A única dificuldade que o cartório passa é em relação a discriminação que ainda existe. As pessoas não querem casar com eles (casais LGBTs). O Juiz titular sempre faz o casamento no cartório em uma sala individual, mas quando vem um substituto, faz junto independente da pessoa gostar ou não”, explica Mariane.
A Oficial destacou ainda que o cartório também foi proibido de realizar as cerimônias numa Igreja Católica. “Estamos construindo um salão de festas, porque fomos proibidos de levar os casamentos para a Igreja. Fomos afastados por causa dessa discriminação, de o pessoal religioso não aceitar”, diz.

Fora as questões externas, a oficial explicou que não há tratamento diferenciado por parte do cartório. Ela explica que é tudo feito da mesma forma, o mesmo valor, as mesmas condições e destacou que até mesmo alguns deles preferem que a cerimônia seja individual, pois é mais tranqüilo.

Na Zona Norte, o Cartório Azevêdo Bastos, registrou aproximadamente 25 casamentos, para eles a dificuldade de contabilizar é a mesma já que não há acepção de pessoas. Lá também os casais homoafetivos geralmente tem cerimônias mais reservadas. De acordo com o escrevente, Marcelo Oliveira, o fato curioso é que antes de ser regulamentado diversas pessoas ligavam procurando informações sobre os casamentos LGBT na cidade, mas depois a procura sofreu uma queda.

Fonte: Paraíba.com.br, 08/01/2014

Ucranianos LGBT querem distância da Rússia onde até diretor de empresa sonha em queimar gays vivos

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 0 comentários

LGBT ucranianos apoiam entrada de seu país na União Europeia por razões óbvias

Um grupo de ativistas que lutam pelos direitos dos homossexuais fez um protesto no centro de Kiev, na Ucrânia, no sábado (11/1/14), para mostrar apoio à entrada do país na União Europeia (UE). 

Os manifestantes organizaram o ato pelas redes sociais. O percurso estabelecido foi da Praça de Bessarábia até a Praça da Independência, onde também foi promovido neste sábado um comício por apoiadores da integração ucraniana à UE.

Naturalmente, mais do que os outros cidadãos ucranianos, a população LGBT do país tem toda a razão de querer se unir à União Europeia em vez da Rússia, cada vez mais autoritária e homofóbica. Basta ver as declarações heterroristas de um diretor da Euroset, principal distribuidora de celulares russa, sobre LGBT. Ver abaixo.

Movimentos gays enviam carta à Apple pedindo rompimento de parceria

Diversas organizações que defendem os direitos homossexuais na Rússia se uniram em uma coalização que pede que a Apple deixe de fazer negócios com a Euroset, principal distribuidora de celulares russa. A causa é movida pelas declarações de Ivan Okhlobystin, diretor criativo da empresa, que recentemente afirmou que "queima eles [gays] vivos".

"Isso [homossexualidade] é como Sodoma e Gomorra. Eu, como pessoa religiosa que sou, não posso ficar indiferente e deixar que isso afete e contamine a vida de meus filhos", afirmou Ivan em entrevista concedida no último dia 17 de dezembro.

Desde então a mobilização dos movimentos pelos direitos gays russos rendeu uma carta ao CEO da Apple, Tim Cook, na qual o rompimento com a Euroset é tido como "demonstração de que a Apple é uma empresa que se preocupa com os direitos básicos dos cidadãos".

Do outro lado, a Euroset se nega a responder oficialmente a carta enviada à Apple e apenas afirma, por meio de seu CEO Alexander Malis, que "nunca insultou nenhum gay e que trabalha para todos sem qualquer tipo de discriminação". A distribuidora também afirma que Okhlobystin expressou apenas sua opinião pessoal e não será demitido por conta do fato.

A Apple, que recebeu a carta no último domingo (5) ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

Fonte: Yahoo Finanças e G1, 11/1/2014

Governo dos EUA reconhecerá casamento gay em Utah apesar de bloqueio do Supremo

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 0 comentários


Washington, 10 jan (EFE).- O governo americano afirmou nesta sexta-feira que reconhecerá os mil casamentos entre pessoas do mesmo sexo realizados no estado de Utah, apesar da intervenção da Suprema Corte, que decidiu mantê-los suspensos temporariamente enquanto tramita um recurso das autoridades estaduais.

O secretário de Justiça e procurador-geral de EUA, Eric Holder, garantiu que o governo manterá os benefícios federais para os casais do mesmo sexo que já eram casados legalmente antes da decisão da corte.

"Confirmo que, para efeitos da lei federal, estes casamentos serão reconhecidos como legais e aptos para todos os benefícios federais competentes nas mesmas condições que o resto dos casamentos do mesmo sexo", disse Holder.

"A estas famílias não se deve pedir que suportem a incerteza quanto ao seu status enquanto se desenvolve a disputa jurídica", acrescentou.

Em 20 de dezembro o juiz federal Robert Shelby declarou ilegal a lei de Utah que impedia o casamento entre pessoas do mesmo sexo, decisão que foi apelada pelas autoridades do estado.

Entre 20 de dezembro e 6 de janeiro, dia em que a Suprema Corte decidiu bloquear a realização de casamentos homossexuais enquanto se resolve o litígio, cerca de mil casais se uniram em matrimônio.

Pouco depois do veredicto de Shelby, a Procuradoria Geral de Utah apresentou uma apelação na Corte federal de Apelações do Décimo Circuito, em Denver, no Colorado.

E em 31 de dezembro, o estado remeteu uma solicitação à juíza do Supremo, Sonia Sotomayor, responsável pelos pedidos de emergência na região do país onde fica Utah, em que pedia a suspensão da decisão judicial enquanto o processo estiver em andamento.

Nesse pedido, o estado de Utah declarou que cada um dos casamentos realizados desde 20 de dezembro era "uma afronta aos interesses do estado e seus cidadãos em relação ao poder de definir o casamento através de canais democráticos ordinários".

As autoridades de Utah querem continuar aplicando a lei, considerada ilegal por Shelby, que os eleitores do estado aprovaram em plebiscito em 2004 e que definiu o casamento como um união só possível entre um homem e uma mulher.

E argumentam que a decisão do juiz federal coloca em risco também "o papel único da Suprema Corte como árbitro final da questão constitucional, profundamente importante, sobre se o casamento gay é legal".

A Corte de Apelações em Denver deve começar a revisar o caso no próximo dia 27.

Fonte: Yahoo Notícias, via EFE, 10/01/2014

Pai e namorado e filha e namorada vão se casar no mesmo dia em Santa Catarina

terça-feira, 14 de janeiro de 2014 0 comentários

Pai e namorado e filha e namorada vão se casar no mesmo dia

Pai e filha homossexuais organizam casamento duplo em Santa Catarina

Garota de 23 anos vai se casar com namorada no dia 19 de abril. Elas farão cerimônia conjunta com o pai de uma delas, em Sombrio.

No dia 19 de abril, um duplo casamento gay de uma mesma família será realizado em Sombrio, no Sul de Santa Catarina. Laise Homem, conhecida como Gai, e a namorada, Akristian Morretti, vão se unir em cerimônia conjunta com o pai de Gai, Elvio Zico, e o namorado dele, Neliton Langer. O duplo matrimônio não foi planejado, mas os dois casais estão felizes com o resultado. "Vai ser muito legal", destacou Elvio.
Gai e Kris moram juntas há dois anos
(Foto: Arquivo pessoal)
Gai e Kris, de 23 e 24 anos, respectivamente, se conheceram em Balneário Gaivota, no Sul catarinenese, em dezembro de 2011. O pai de Gai tem uma casa de veraneio na cidade, que fica perto de Sombrio, e as duas garotas se viram pela primeira vez na praia. Ambas moram atualmente em Caxias do Sul (RS), onde hoje têm uma empresa de promoção de eventos.

Elas vivem juntas há dois anos na cidade gaúcha e, desde abril do ano passado, estão oficialmente em união estável. A decisão de fazer um casamento único partiu de uma proximidade de Gai com o pai, que vive em Sombrio.
"Ele decidiu que ia fazer o casamento em 19 de abril. E eu já tinha vontade [de me casar]", conta. Assim, Gai e Kris resolveram marcar a cerimônia na mesma data.

A história de Elvio, de 45 anos, e Neliton, de 24, começou há quatro anos, na rodoviária de Sombrio. Elvio é policial civil e dono de uma loja de roupas onde Neliton trabalha. Eles se viram pela primeira vez quando Elvio foi levar a filha na rodoviária. Neliton e a garota são amigos e, na ocasião, ambos estavam viajando para Caxias do Sul.

Família
Elvio afirmou que nunca sofreu nenhum tipo de preconceito no trabalho, mas que encontrou alguma resistência da família.

"Talvez imaginavam que nós mudaríamos nossa maneira de ser. Mas viram que é algo sério, então ficou tranquilo", disse o policial.

Gai contou que o pai foi casado com a mãe dela por 25 anos, e a separação veio em 2007. A garota tem outras duas irmãs mais novas, de 21 e 20 anos.

"Eu já era adulta, a gente entendeu. A gente sempre fica triste, mas depois aceita", contou Gai. Sobre o relacionamento dela com Kris, a jovem disse que "no começo foi complicado" para as irmãs entenderem. "A gente era evangélico, mas hoje todo mundo entende e respeita", ressaltou.

Aos 15 anos, Gai deixou a igreja, na qual a família era presença constante. O pai fez o mesmo, tempos depois. "Até vamos hoje em dia. A gente acredita em Deus, tem fé, mas tem muita coisa na igreja que a gente não concorda. Acabamos nos afastando", contou a garota.

Cerimônia
O casamento duplo será feito em um salão decorado em Sombrio.

"Muito dos meus convidados são em comum com a minha filha, como família e alguns amigos", afirmou o pai, explicando mais uma razão por terem decidido pelo casamento duplo. "Fiquei bem feliz quando elas me contaram", completou Elvio, orgulhoso.

Fonte: G1, Joana Caldas, 10/01/2014

Novela "Em Família" terá casal de mulheres com direito à música tema especial e a beijo explícito

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 6 comentários

Giovanna Antonelli (Clara) e Tainá Muller (Marina) farão par na novela Em Família

A próxima e última novela de Manoel Carlos, Em Família, que vai substituir Amor á Vida, vai apostar pesado no trabalho das atrizes Giovanna Antonelli e Tainá Muller, que farão o papel de duas lésbicas.

A trama que tem estreia prevista para o dia 3 de fevereiro, dará  tratamento especial a ambas personagens. Segundo o jornalista Flávio Ricco, além de grande exposição e destaque na trama, idas e vindas na relação das duas, elas também terão uma música tema especial para embalar seus momentos. O departamento musical na Globo ainda não definiu qual será a trilha, mas as opções já foram avaliadas, entre nacionais e internacionais.

No roteiro original da novela Em Família, Giovanna Antonelli vai abandonar o marido, após conhecer e se apaixonar por uma bela fotógrafa, interpretada por Tainá Muller. Esta substituiu Alinne Moraes, que desistiu da personagem por causa da gravidez.

Ainda falando da trama lésbica dentro da novela, pelo que parece existe toda uma preparação dentro da Globo para que finalmente ocorra o primeiro beijo gay em uma novela das nove, lembrando que o SBT já fez isso em sua trama “Amor e Revolução” no ano de 2011.

Em Família tem direção de núcleo de Jayme Monjardim e direção geral de Leonardo Nogueira. O elenco também conta com Bruna Marquezine, Julia Lemmertz, Humberto Martins, Oscar Magrini, Reynaldo Gianecchini, entre outros.

Com informações de Boa Informação (via TVFoco) e Yahoo TV

Em pesquisa do Ibope, entrevistados opinam que pregação de pastor contra LGBT deve ser criminalizada e que a homossexualidade deve constar de aulas de educação sexual

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014 0 comentários


Numa pesquisa para a revista “Época”, o Ibope Inteligência/CNT (Confederação Nacional dos Transportes) perguntou a 2.002 entrevistados se um líder religioso deve ser acusado pelo crime de homofobia ao pregar contra homossexuais. A maioria (60%) declarou que sim. O estudo também revelou que 73% dos entrevistados não consideram que os preceitos de uma religião são feridos com o uso da camisinha e 55% acham que o tema homossexualidade deve ser incluído no currículo das aulas de educação sexual. O site do Ibope publicou outros resultados do estudo. Leia na íntegra:

Quase sete em cada dez brasileiros (65%) são a favor de que a Igreja Católica passe a aceitar que padres possam se casar e constituir família. É o que mostra uma pesquisa do IBOPE Inteligência/CNT (Confederação Nacional dos Transportes) para a revista Época.

Ainda segundo o estudo, a população se divide com o fato de que mulheres exerçam o papel de padres: 48% são contra e 46%, a favor. Por outro lado, a maioria (74%) é contra a ideia de que a Igreja Católica aceite padres homossexuais/gays e 64% são contra a possibilidade de pessoas que não fizeram seminário celebrar missas.

O estudo também mostra que para 60% dos brasileiros, atualmente, o maior problema da Igreja Católica são os casos de pedofilia, seguidos da corrupção (16%) e do distanciamento da realidade dos fieis (8%).

Quando questionados se um pessoa fere os preceitos de sua religião, independente de qual seja, se fizer aborto, 69% dos entrevistados respondem que sim e 27%, que não. Já para o uso de pílula anticoncepcional ou camisinha, o resultado inverte: a maioria (73%) não considera que os preceitos de uma religião são feridos ao utilizar esses métodos contraceptivos, assim como 61% dizem que sexo antes do casamento não fere os princípios de uma religião. Mas, a população fica dividida quando o tema é homossexualidade: para 45%, ser homossexual é ferir os preceitos de uma religião, enquanto 49% discordam.

A pesquisa também perguntou se um líder religioso deve ser acusado pelo crime de homofobia se pregar contra homossexuais: grande parte (60%) declara que sim e 55% também acham que o tema homossexualidade deve ser incluído no currículo das aulas de educação sexual.

Casamento - Oito em cada dez brasileiros (80%) são a favor de que divorciados se casem religiosamente de novo, 76% são favoráveis à ideia de que instituições religiosas celebrem matrimônios entre casais que já tiveram relação sexual e 62% apoiam a celebração religiosa de casamentos entre casais que não praticam a religião na qual vão se casar. Por outro lado, 61% são contra a possibilidade das instituições religiosas realizarem a união entre pessoas do mesmo sexo.

Francisco - Depois da escolha do novo papa, a confiança de 37% dos brasileiros na Igreja Católica aumentou, enquanto apenas 4% dizem que diminuiu. No entanto, para a maioria da população (59%), a confiança permaneceu a mesma.

Dos 2.002 entrevistados entre os dias 5 e 9 de dezembro de 2013, em 141 municípios, 61% são católicos, 24% evangélicos e 4% de outras religiões. Mais da metade (59%) declara ser praticante. Os que não tem religião somam 10%. A margem de erro é de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.


Fonte: Site Ibope, via Agência AIDS, 08/01/2014

Suspenso casamento LGBT em Utah (EUA)

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014 0 comentários


Casais aguardam para se casar na cidade de Salt Lake, em Utah, em 20 de dezembro
Foto: JIM URQUHART / REUTERS
Casais aguardam para se casar na cidade de Salt Lake, em Utah, em 20 de dezembro
JIM URQUHART / REUTERS

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos suspendeu temporariamente o direito ao casamento entre pessoas do mesmo sexo no Utah.

A 20 de Dezembro, uma decisão da Justiça (juiz distrital Robert Shelby) que declarou “inconstitucional” uma lei que impedia o casamento homossexual legalizou de fato este tipo de uniões, permitindo que cerca de 900 pessoas contraíssem matrimônio num dos Estados mais conservadores do país, com uma importante comunidade “mórmon”.

Mas o governador Gary Herbert apelou da decisão no fim do mês passado, o que levou agora a máxima instância norte-americana a suspender o casamento gay, até nova decisão da Justiça.

As uniões entre pessoas do mesmo sexo são autorizadas em 17 Estados norte-americanos e na capital federal, Washington.


Fontes: Euronews, O Globo, 06/01/2013

Retrospectiva 2013: Direitos LGBT na Europa

terça-feira, 7 de janeiro de 2014 1 comentários


Gays ganharam direito de formar família na Europa

O ano de 2013 trouxe avanços fundamentais para os direitos dos gays no continente europeu. Mas, como em qualquer mudança cultural, enquanto a teoria caminhou a passos largos, a prática ainda cambaleou e relutou em sair andando. O ano também acentuou as diferenças numa Europa que até há pouco tempo era separada pelo muro de Berlim. Do lado ocidental, os homossexuais venceram. Do lado oriental, ainda enfrentam resistência.

A principal vitória foi o reconhecimento de que toda pessoa tem direito de formar família, não importa se vai escolher um parceiro do sexo oposto ou do mesmo sexo. O direito foi estabelecido pela Corte Europeia de Direitos Humanos em novembro e se estende para todos os 47 países europeus. Apenas a Bielorrússia não faz parte do Conselho da Europa e não tem, portanto, obrigação de cumprir as ordens da corte.

O julgamento foi um marco na jurisprudência do tribunal europeu, que já decidiu mais de uma vez que os Estados não são obrigados a permitir que gays se casem. Com a decisão, o que a corte disse foi que cada país tem o dever legal de reconhecer relacionamentos homossexuais, seja como casamento ou como união civil.

No começo do ano, a mesma corte decidiu que o conceito tradicional de família — mãe, pai e filhos — não justifica que um casal gay seja impedido de adotar uma criança. Em fevereiro, os juízes consideraram que não há problema algum em permitir que uma criança tenha dois pais ou duas mães. Na ocasião, o tribunal julgou que o Código Civil da Áustria, que prevê que devem constar na certidão de nascimento o nome da mãe e o do pai, era discriminatório ao impossibilitar a adoção por casais homossexuais.

Já no âmbito da União Europeia, que abrange 28 dos países da Europa, o Judiciário também foi responsável por alguns passos a caminho da igualdade. Em dezembro, o Tribunal de Justiça decidiu que uma empresa não pode excluir gays de benefícios dados para aqueles que se casam se a lei do país não autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O tribunal firmou o entendimento a pedido da França, onde o casamento gay não era permitido até maio do último ano. Lá, as empresas davam um salário-prêmio e uma licença especial para o funcionário que se casasse. Os empregados gays consequentemente ficavam fora do alcance do benefício. Para a corte da UE, a exclusão era discriminatória. Os juízes determinaram que os benefícios fossem garantidos também para funcionários que estabelecessem união civil com alguém do mesmo sexo.

Em 2013, a jurisprudência no tribunal não só beneficiou os cidadãos europeus como procurou proteger gays espalhados pelo mundo. A corte se posicionou no sentido de que um estrangeiro homossexual que corra risco de perseguição no seu país de origem tem direito de receber asilo na União Europeia. Os juízes definiram que a UE deve proteger os nacionais de Estados onde o homossexualismo é punido com prisão.

Regra de dois
Durante o ano, mais dois países da Europa passaram a permitir que duas pessoas do mesmo sexo se casem. A França autorizou o casamento gay em maio. Em julho, foi a vez de a Inglaterra aprovar lei no mesmo sentido, que deve ser regulamentada e entrar em vigor até o meio de 2014. A Escócia também prometeu caminhar no mesmo sentido e até mesmo a Irlanda, um dos países mais católicos e conservadores da Europa, já anunciou que deve fazer um plebiscito em 2015 para ouvir a população sobre o assunto.

Atualmente, no continente europeu, 10 países permitem que os gays se casem. São eles: Bélgica, Dinamarca, França, Islândia, Holanda, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia e Inglaterra. Já a união civil entre gays é mais aceita no continente. Além dos que permitem o casamento, outros 16 países reconhecem a união estável entre duas pessoas do mesmo sexo. Entre esses, apenas três — República Tcheca, Hungria e Eslovênia — são do Leste Europeu, onde os direitos dos homossexuais ainda são pouco reconhecidos.

Em Portugal, o direito de os gays formarem família teve um upgrade no primeiro semestre. O país aprovou lei que permite que, nos relacionamentos homossexuais, o companheiro adote o filho do seu parceiro, o que é chamado de coadoção. A adoção plena, que permitiria aos casais gays adotarem uma criança juntos, ainda é proibida.

A mudança, como esperado, não agradou a todos. Um dos que torceram o nariz para a nova lei foi o então presidente da Ordem dos Advogados portuguesa, António de Sousa Marinho e Pinto. Pouco tempo depois de a lei ser aprovada, Pinto classificou como desrespeito e maltrato com as crianças permitir que elas sejam adotadas por casais do mesmo sexo. Para ele, uma criança precisa crescer num ambiente com sólidas referências masculinas e femininas.

Cortina de ferro
Se no lado ocidental da Europa os gays têm muito para comemorar, 2013 foi ano de retrocessos em boa parte do Leste Europeu. A principal responsável foi a Rússia, que vem, aos poucos, engrossando sua política anti-homossexual. Desde julho, fazer propaganda homossexual para crianças é crime punido com multa no país. A lei não define bem o que é propaganda homossexual, mas leva a crer que um professor que explicar para os seus alunos que existem pessoas que optam por se relacionar com outras do mesmo sexo pode ser multado. Alguns meses depois, os russos começaram a discutir se devem proibir que pais gays fiquem com a guarda dos filhos.

Legislação que veta a propaganda gay para menores de idade também está em vigor em algumas cidades da Moldávia. Lá, a proibição é justificada com base na vontade de população, de maioria católica ortodoxa. Na Ucrânia, há pelo menos dois projetos de lei em estágio avançado no Parlamento que restringem a propaganda homossexual.

Na Lituânia, o Parlamento chegou a aprovar uma lei que impedia a disseminação de informações referentes a relacionamentos homossexuais, bissexuais ou polígamos. A legislação acabou vetada, mas a lei atualmente em vigor considera prejudicial aos menores a divulgação de relacionamentos que não sejam heterossexuais.

Na Hungria, por pouco o veto à propaganda homossexual não ganhou contornos constitucionais. Em abril de 2011, o país ganhou uma nova Constituição. Parlamentares tentaram incluir nela um artigo que proibia manifestações e discursos em defesa dos gays. A tentativa foi rejeitada pelos outros deputados, mas tudo leva a crer que deve voltar a ser discutida. A nova Constituição ressalta a importância do cristianismo e os valores da família, além de esclarecer que casamento é a união entre um homem e uma mulher.

Todas essas restrições aos direitos dos homossexuais vêm sendo constantemente criticadas pelo Conselho da Europa, que em mais de uma ocasião já afirmou que os países não podem discriminar gays sob pena de violar a Convenção Europeia de Direitos Humanos, a que todos estão submetidos. Ainda assim, a maior parte ignora. Quando são condenados pela corte europeia por discriminar um gay, pagam indenização e seguem com a prática discriminatória. A atitude desses países frente aos julgamentos do tribunal europeu mostra que o caminho a ser percorrido ainda é longo e cheio de percalços.

Fonte: Conjur, Aline Pinheiro, 04/01/2014

Papa Francisco mais aberto às questões homossexuais apesar de desmentidos do Vaticano

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014 0 comentários


Vaticano nega que Papa é aberto ao reconhecimento de uniões civis gays

CIDADE DO VATICANO, 5 Jan (Reuters) - O Vaticano negou no domingo reportagens da mídia italiana que os recentes comentários do Papa Francisco sinalizavam a sua abertura, para o reconhecimento legal de uniões do mesmo sexo na Itália.

Francisco, durante uma conversa com líderes de ordens religiosas, publicada por um jornal Jesuíta na sexta-feira, disse que a Igreja Católica tinha que tentar não afastar as crianças que vivem em situações familiares complexas, como aquelas cujos pais são separados e as que vivem com casais homossexuais.

Francisco deu o exemplo de uma menininha em Buenos Aires, sua antiga diocese, que confidenciou para sua professora, que o motivo pelo qual ela estava sempre triste era porque "a namorada da minha mãe não gosta de mim".

O papa disse aos líderes das ordens religiosas que um grande desafio para a Igreja seria o de estender a mão às crianças que vivem em situações domésticas difíceis ou pouco ortodoxas.
"A situação em que vivemos hoje nos proporciona novos desafios que às vezes são difíceis de entender",disse o papa, de acordo com uma transcrição da conversa. 
"Como podemos proclamar Cristo para esses meninos e meninas? Como podemos celebrar Cristo para uma geração que está mudando? Precisamos ter cuidado para não administrar neles uma vacina contra a fé", ele disse.
No domingo, as manchetes da mídia italiana diziam que as palavras do papa eram uma abertura para condição legal para uniões civis de casais do mesmo sexo, um assunto debatido na Itália.

O porta-voz do Vaticano, Padre Federico Lombardi disse à Rádio Vaticano que as interpretações da mídia eram "paradoxais" e uma "manipulação" das palavras do papa, especialmente quando alguns veículos de comunicação o citaram como tendo falado especificamente das uniões homossexuais, o que ele não fez.

Lombardi disse que o papa estava apenas fazendo alusão ao sofrimento das crianças e não tomando uma posição no debate político da Itália.

Fonte: Philip Pullella, Reuters Brasil, 05/01/2014

Horóscopo de janeiro (2014)

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014 0 comentários

Míriam Julie
PREVISÃO JANEIRO 2014

ÁRIES
21/03 a 20/04

Você poderá ter  considerável tensão e dificuldade nos relacionamentos. É possível que as relações amorosas sofram um esfriamento e até se rompam ao longo deste período. Talvez descubra que um romance não era aquilo que esperava, num rude despertar após agradáveis ilusões. Ou talvez perca subitamente o interesse numa relação que parecia perfeitamente viável até agora. É possível também que seja sua parceira quem tome a iniciativa de deixá-la. 

À parte os relacionamentos, haverá uma impressão de que de algum modo ficou mais difícil relacionar-se com as pessoas. É possível que sinta como se qualquer tipo de relacionamento lhe exigisse em troca sua liberdade e sua individualidade. Todos eles lhe parecerão dar mais trabalho do que vale a pena. 

Um outro efeito deste mês será o de colocar um relacionamento existente à mercê de "circunstâncias além de seu controle", forçando-a a romper-se mesmo contra a vontade das partes. 

Você terá menor liberdade de movimentos que de hábito, devido à pressão das circunstâncias e à necessidade de finalizar as coisas. Velhas pendências encontrarão solução agora. Talvez o trabalho lhe exija mais esforço que habitualmente, pois seus chefes podem atribuir-lhe mais responsabilidades do que desejaria. Embora não seja exatamente leve e descontraído, o período deve ser bem produtivo.

TOURO
21/04 a 20/5

 Este mês proporcionará a você um período de reflexão em todas as áreas de sua vida, possibilitando mudanças radicais que podem gerar novos estímulos muito positivos.

Na parte afetiva também haverá questionamentos. Todo relacionamento deve ser uma expressão sincera daquilo que você é. Porém é muito comum estabelecermos relacionamentos que pouco têm a ver com nosso verdadeiro eu, em geral por medo, necessidade de segurança ou para sanar uma sensação de inadequação. Às vezes os relacionamentos duram mais do que sua própria estrutura lhes permite, e são esses que sofrerão maior abalo ou talvez uma ruptura agora. Eles estarão contrariando sua busca de vida e auto-expressão. 

A solidão é em geral um problema durante este período, pois sua necessidade de relacionar-se será tão grande quanto a de ser você mesma. Ao invés de funcionar harmoniosamente como deveriam, essas necessidades estarão em conflito. 

O momento trará desafios. Você terá de decidir em que áreas de sua vida deve se concentrar. Construirá uma nova carreira ou continuará investindo na atual? Tentará tornar sua vida pessoal mais satisfatória? Trabalhará ao lado de outras pessoas ou por conta própria? 

GÊMEOS
21/05 a 20/06

Procure agir de forma mais tranquila, o inicio do ano é marcado por energia tensa, porém também proporcionará mudanças positivas no plano emocional que beneficiarão sua vida pessoal ao longo do ano.

Algumas vezes este trânsito surte o efeito contrário, levando-a a descobrir que várias relações vêm interferindo em seus grandes objetivos. Nesse caso, acabará pondo fim a esses relacionamentos para recuperar sua liberdade. A questão aqui é o equilíbrio entre os relacionamentos pessoais e seu progresso.

Talvez deva fazer alguns ajustes ou mesmo mudar seu curso de ação. Será bem melhor fazer isso agora que daqui a vários anos, quando talvez seja tarde demais para livrar-se dos compromissos assumidos. Agora é a hora de mudar. Pode não ser agradável, mas é necessário. 

Provavelmente você agirá com perseverança nos setores em que está satisfeita, dedicando-se a eles ainda mais que em outras épocas. Já nas áreas que lhe são mais opressivas, você viverá tensões e terá o desejo de rebelar-se contra as limitações. 

É difícil dizer se você terá razão em impacientar-se com essas restrições em tantas áreas. Naturalmente, estará certa sempre que quiser aperfeiçoar sua própria vida. Você tem de decidir se corta alguma coisa de uma vez ou se se dedica a ela para que melhore até chegar a um estado aceitável. Ambas as reações têm sua adequação.

CÂNCER
21/06 a 22/0

O ano se inicia com uma poderosa energia ligada a relacionamentos, podendo promover mudanças de pensamentos e formar parcerias novas que podem ter um desfecho romântico inesperado.

Este mês traz uma disposição para ampliar a conscientização e a experiência através do contato com as pessoas, aumentando sua magnanimidade no auxílio aos que precisam. Para chegar a isso, você estará sendo ajudada pelo fato de que suas relações serão bastante boas neste período, pois as pessoas lhe estarão demonstrando o que possuem de melhor. 

Tudo isso a tornará mais otimista, levando-a com acerto a crer que haverá interesse em retribuir o que você der aos outros. É possível que este momento marque a chegada de uma pessoa que realmente a ajudará de diversas formas, principalmente ensinando-lhe algo sobre o universo e seu papel dentro dele. Talvez você se torne mais tolerante e aberta a novas ideias ou talvez encontre através deste relacionamento profundas verdades religiosas e espirituais. 

Certamente, agora você estará pronta para uma maior compreensão espiritual do mundo. Será necessário vivenciar algo mais que a banalidade superficial da vida na qual tantos se espelham. Embora esteja inclinada a idealizar o mundo em geral e certas pessoas em particular, no futuro verá que isso não foi uma ilusão, mas um período de verdadeira expansão de seu conhecimento. 

LEÃO
23/07 a 22/08

Sua aprendizagem no momento não se limitará a verdades espirituais, já que no geral estará intelectualmente mais curiosa e ávida por aprender. O período é muito bom para uma volta à escola ou para fazer cursos que lhe permitam uma melhor visão das questões que lhe interessam.

Este tende a ser um mês marcante, e você deverá estar consciente das suas responsabilidades familiares e emocionais. E nesse início de ano, estão enfatizadas as questões profissionais, a saúde, a qualidade de vida.

Pode também marcar o início de um relacionamento que lhe trará muita felicidade emocional. Pode ser um novo amor, embora isso seja bem mais provável quando houver a coincidência de outro trânsito favorável. Duradouro ou não, qualquer romance iniciado agora beneficiará muito seu crescimento pessoal.

Este período em geral representa um período de otimismo e pensamento positivo. Você sentirá ter atingido um ponto de equilíbrio que lhe permite uma boa visão de sua vida. Por isso, este é um bom momento para reorganizar-se e para traçar planos de longo prazo. 

VIRGEM
23/08 a 22/09

O importante a lembrar neste mês é que ele representa essencialmente uma oportunidade. Você não se sentirá guiada por nenhum tipo de energia nem tampouco sentirá resistência se quiser fazer alguma coisa. Embora possa aproveitar maravilhosamente este período, caberá a você a iniciativa para tal.

Tradicionalmente, este período é considerado um dos mais maravilhosos que pode haver e, de fato, é muito bom. Na pior das hipóteses, você se sentirá bem enquanto ele durar. Estará saudável e muito otimista. Por um instante, as coisas parecerão estar correndo bem e, caso se esforce um pouco, isso acontecerá realmente. Mas se ficar de braços cruzados, a influência benéfica deste trânsito se desvanecerá, deixando pouco em sua esteira. 

Este trânsito indica uma época de equilíbrio em sua vida, quando as exigências do mundo estarão em sintonia com suas necessidades emocionais. As experiências passadas e a maturidade emocional a prepararão para isso, permitindo-lhe que agora coloque sua sabedoria a serviço de uma vida mais tranquila.

É um mês que lhe proporcionará muita serenidade, alegria e surpresas positivas no setor afetivo, profissional e pessoal. Sua saúde estará mais equilibrada com novas mudanças de hábitos.

LIBRA
23/09 a 22/10

Não há dúvida que agora você terá uma boa chance de sucesso em diversos setores e, dentro de certos parâmetros, deve tentar obtê-lo. Entretanto, procure não se concentrar apenas no crescimento material. Mesmo que não possua todos os bens materiais que deseja, deveria prestar um pouco mais de atenção em suas necessidades interiores e espirituais. 

Os bens e objetos que adquire o dinheiro e até o prestígio social são apenas artifícios que lhe dão a sensação de satisfação. Em si, eles não são a própria satisfação. São seus problemas íntimos que fazem de sua vida menos do que poderia ser, mesmo que tenha problemas correspondentes no universo material. Você deve procurar as soluções dentro de si mesma, e este mês representa um momento de decisão, quando você deve começar a procurar respostas. 

As amizades ou outros relacionamentos envolvendo as mulheres serão quase sempre gratificantes ao longo deste período, proporcionando-lhe muitos benefícios. Eles podem manifestar-se sob a forma de uma experiência emocionalmente enriquecedora ou uma oportunidade profissional.

Uma figura feminina pode funcionar como guia em relação a determinados aspectos de sua própria personalidade que você normalmente não vivencia, mas que podem ajudá-la a atingir uma completa compreensão de si mesma. 

Às vezes este período pode indicar uma atenção por parte do público ou uma necessidade de lidar de alguma forma com grandes grupos de pessoas. Seja qual for o caso, você se sairá bem.

ESCORPIÃO
23/10 a 21/11

Este mês lhe trará uma certa inquietude. Seu impulso de liberdade é continuamente cerceado pelas restrições deste período. Você sentirá muita necessidade de romper com essas restrições. Talvez mude de emprego ou de residência ou ponha fim aos relacionamentos que lhe parecerem interferir em sua liberdade. Entretanto, essas mudanças normalmente representam apenas reações precipitadas a este período. 

Seria muito melhor que você analisasse calmamente o que está e o que não está funcionando dentro de sua vida para conseguir eliminar conscientemente o que não lhe serve. Procure não agir às cegas, movida apenas pelo sentimento de frustração. A pessoa amada pode mostrar-se mais sensível do que o normal. Procure estar atenta às necessidades dela.

Neste momento haverá um equilíbrio entre o velho e o novo dentro de sua vida, entre o conservadorismo e o desejo de experimentar. Você será capaz de viver uma nova experiência, detectar seu potencial e dar-lhe uma forma concreta na sua vida. Você será paciente na sua abordagem da vida, dispondo-se a permitir que tudo tenha uma chance de provar sua validade.  

SAGITÁRIO
22/11 a 21/12

Sob esta influência, a tendência é ir à busca de tudo que materialmente se quer sem pensar muito em quem está no caminho. A palavra de ordem é irrestrição, tanto nas aquisições quanto nos prazeres. Então, à medida que o período vai chegando ao fim, as pessoas sentem que seus atos não deram em nada e que suas vidas estão tão vazias quanto antes. Na primeira metade deste ciclo, seu crescimento foi material. 

Não seja arrogante nem presuma que está sempre com a razão. Através de contatos significativos com as pessoas, principalmente nos relacionamentos mais íntimos, você poderá descobrir qual o caminho a seguir agora.

Trabalhe ao lado dos outros e pense em termos de crescimento recíproco. Ao tentar atingir metas traçadas a duas e agir como numa verdadeira parceria, ambas se tornarão mais conscientes do que são enquanto indivíduos. Se reconhecer o verdadeiro significado deste trânsito em termos de sua própria vida, este poderá ser um período bastante produtivo e benéfico para seu crescimento, um período que sempre terá sentido e importância para você. 

CAPRICÓRNIO
22/11 a 19/01

Este é o momento para fazer grandes planos e concretizar diversas ideias que vem alimentando há tempos. Agora será possível torná-las realidade, contanto que evite certas armadilhas. Neste caso, o principal é procurar não pensar grande demais, tentando fazer coisas absurdas ou impraticáveis. 

Se conseguir verificar cada detalhe, como exige a realização de todo negócio bem-sucedido, o momento é excelente para a finalização de todo tipo de transação comercial, mas é muito importante não negligenciar nenhum detalhe que possa afetar o resultado. Este período permite que se vejam os padrões gerais das coisas e que se façam planos com previdência e sabedoria. Entretanto, se não tomar cuidado, pode acabar se precipitando e dando passos errados. O melhor será trabalhar com outra pessoa que possa checar seus planos e atuação, chamando-lhe a atenção para qualquer coisa que você possa ter passado por cima. 

Talvez o ritmo das coisas se torne bastante acelerado agora, e essa é uma das razões para você planejar tudo com muito cuidado. É possível que se sinta confusa, não porque a situação seja indefinida ou vaga, mas porque a dimensão dos fatos ultrapassa sua capacidade de apreensão. Isso não deverá acontecer se você pensar em tudo com antecedência.

AQUÁRIO
20/01 a 18/02 

É possível que durante este mês você tenha menor liberdade de movimentos que de hábito, devido à pressão das circunstâncias e à necessidade de finalizar as coisas. Velhas pendências encontrarão solução agora. Talvez o trabalho lhe exija mais esforço que habitualmente, pois seus chefes podem atribuir-lhe mais responsabilidades do que você desejaria. 

Embora não seja exatamente leve e descontraído, o período deve ser bem produtivo. Entretanto, evite iniciar agora projetos totalmente novos, pois dentro de poucos anos talvez chegue à conclusão de que não dispõe dos recursos materiais ou psicológicos para finalizá-los. Termine o que começou e simplifique sua vida. 

Os relacionamentos válidos não sofrerão grandes abalos, mas os que não o forem se romperão completamente agora. Você estará tentando livrar-se de tudo que não for necessário ou benéfico a seu desenvolvimento nos próximos anos. Os relacionamentos difíceis e complicados serão provavelmente descartados. 

PEIXES
19/02 a 20/03 

Este é normalmente um mês bem agradável, indicando harmonia nos relacionamentos e talvez até o surgimento de uma nova relação que virá a ter muita importância em sua vida. Você sentirá muita vontade de amar, sendo capaz de dar seu amor a todos os que a cercam. 

O período  reforçará seu gosto pelas coisas belas e suntuosas. Além disso, você provavelmente não estará muito disposta a abrir mão do que deseja. Tenha cuidado para não desperdiçar recursos valiosos nem jogar dinheiro fora. Se for cautelosa, será possível fazer excelentes investimentos neste período, mas apenas se analisar todas as possibilidades com muita calma. 

No plano físico, indica o risco de ganhar peso porque estimula o desejo de comidas pesadas, gordurosas ou doces. Talvez seja melhor evitá-las por um tempo. 

Durante este trânsito, será imprescindível manter todos os seus assuntos sob controle. Há uma forte tendência a excessos, que talvez a impeça de levar em frente as coisas em que está envolvida. O fato é que ele lhe dará a sensação de que as coisas simplesmente estão além de sua capacidade. Tome especial cuidado com as questões financeiras, pois você provavelmente gastará sem pensar, certa de haver abundância de dinheiro e de todos os recursos de que precisar.

Talvez você tenha vontade de trabalhar com outras pessoas nos projetos em que se envolver agora. A percepção delas a ajudará a transcender suas próprias limitações. 

Miriam Julie é astróloga humanista, terapeuta holística, taróloga e numeróloga há 28 anos e mantém, desde 2004, as previsões astrológicas anuais e mensais, entre outras, do site da Um Outro Olhar. Formada como Terapeuta Corporal no Centro Metamorfose, utiliza o Método Deva Nishok de Massagem Tântrica para proporcionar estados alterados de Percepção e Consciência através das técnicas de Terapêutica Tântrica: Sensitive Massagem, Êxtase Total Massagem, Yoni e Lingam Massagem, G-Spot e P-Spot Massagem.

Para consultas online ou pedidos de mapa astral, combinação de mapas, previsões, entrar em contato com miriam-zen@umoutroolhar.com.br  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Um Outro Olhar © 2015 | Designed by RumahDijual, in collaboration with Online Casino, Uncharted 3 and MW3 Forum